2019/09/17

Huawei Mate 30 terá 4 modelos


Mesmo não chegando ao nível do Pixel 4 da Google, nem a Huawei conseguiu escapar ao "leak" das diversas variantes da nova gama Mate 30 que será apresentada oficialmente a 19 de Setembro.

Se dúvidas houvesse quanto à Huawei manter a tradição na gama Mate, parece que efectivamente assim será, com o Mate 30 a dividir-se por quatro variantes: Mate 30 Pro, Mate 30, Mate 30 Lite e ainda o Mate 30 Porsche Design.

O Mate 30 Pro virá equipado com um ecrã 6.8" "waterfall" com as margens mais curvadas que nunca, com um notch alargado para suportar o reconhecimento facial 3D. Na parte traseira, um conjunto quad-câmara com duas câmaras de 40MP (normal e ultrawide), 8MP (3X), e sensor Time-of-Flight. Na frente uma câmara de 32MP e câmara adicional ultra-wide. Lá dentro teremos um Kirin 990 5G, com pelo menos 8GB e até 512GB de capacidade, e uma bateria de 4500mAh com SuperCharge de 40W e SuperWirelessCharge de 27W. Virá em EMUI 10 e Android 10, mas a grande incógnita serão as apps da Google - cujas informações até ao momento parecem ir no sentido de que as não terá instaladas de fábrica (mas que poderão ser instaladas posteriormente pelos utilizadores).


O Mate 30 mantém um design idêntico e quatro câmaras traseiras, mas com características inferiores ao Pro; mas com a vantagem de na frente contar com um notch mais reduzido, sem sistema 3D mas mantendo duas câmaras frontais. Também deverá recorrer a um Kirin 990 5G, com 6GB+128GB de base.


Para a entrada de gama, teremos um Mate 30 Lite, que parece ser um Nova 5i Pro remarcado, contando um um ecrã de 6.3" com furo para a câmara frontal, enquanto na traseira também se mantém um conjunto de quatro câmaras: 48MP+8MP+2MP (macro)+2MP (3D). Neste caso, será um modelo que se fica pelo 4G e um Kirin 810, alimentado por uma bateria de 4000mAh.


No extremo oposto, teremos mais uma vez um Huawei Mate 30 Porsche Design, com características idênticas ao Mate 30 Pro, mas com 12GB de RAM, e design diferenciado.


Se se vier a comprovar que serão modelos lançados sem as apps da Google de origem, vai ser interessante ver como é que a Huawei irá enquadrar isso nos mercados ocidentais, e até que ponto os clientes estarão dispostos de compreender essa situação - assumindo que poderão instalar as apps posteriormente.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]