2019/10/15

Google revela Pixel 4, Nest WiFi, Pixelbook Go e outras novidades


Com a maioria das "novidades" a já terem sido reveladas nas semanas anteriores, a Google arrancou o seu evento revelando desde logo a gama de produtos que iria apresentar: os Pixel 4, novos Pixel Buds, Pixelbook Go, Stadia (a 19 de Novembro), novos Nest WiFi e Nest Mini.


Pixel Buds


Com suporte para Ok Google e autonomia para até 5h (até 24h usando-se a caixa com carregamento wireless para os recarregar), os novos Pixel Buds são mais compactos e prometem ser mais confortáveis e ter maior alcance, para que se possa deixar o smartphone numa ponta da casa mas continuar a ouvir música a até 90 metros de distância (ou três divisões - que com as nossas paredes deverão ser apenas uma ou duas no máximo).

Chegam na Primavera de 2020, com um preço de $179. Teria sido simpático referirem se têm baterias substituíveis... (Mas fizeram questão de referir que os novos Nest Home são feitos de plástico reciclado, assim como o controlador do Stadia.)

Pixelbook Go


Também sem direito a grande surpresa, o Pixelbook Go confirmou o que já tinha sido revelado há dias. Este Chromebook de 13.3" (Full HD ou 4K) chega com opções de CPU Core m3, i5 ou i7, 8GB ou 16GB de RAM, e SSDs de 64GB, 128GB ou 256GB. Os preços vão começar nos $649, mas seguramente irão para mais do dobro disso no caso dos modelos mais artilhados.


Nest Mini e WiFi


Na nova gama Nest (antigos Google Home), temos um Nest Mini idêntico ao Google Home Mini, mas que a Google diz ter "graves 2x mais poderosos", e que também tem um suporte para colocar na parede. Vai custar $49 e ficar disponível em 23 países - sendo que nesta altura, a melhor notícia que poderia surgir deste evento, era o de que o Google Assistant passava oficialmente a suportar português de Portugal!



Para o serviço de vigilância com processamento na cloud, a Google mudou de táctica (para melhor) e passa a cobrar um valor fixo e não dependente do número de câmaras que se tiver em casa. A modalidade base custa $6/mês e dá acesso a um histórico de eventos de vídeo de 30 dias; a mais completa aumenta o histórico para 60 dias, e também guarda os últimos 10 dias de vídeo 24/7, por $12/mês. Lá vai a Amazon ter que rever os preços dos Ring.



Para substitui o Google WiFi mesh, temos agora um novo conjunto Nest WiFi, que conta com um router e "points" adicionais; sendo que os "points" funcionam como Nest Home com Google Assistant (um detalhe interessante e que os torna bastante mais atractivos do que o anterior Google WiFi com os hotspots sem funcionalidade adicional). Os preços começam nos $269 para um conjunto de router e um point e $349 para router mais dois points.

Pixel 4


E finalmente a "surpresa" mais conhecida de sempre: o Pixel 4. O smartphone que estreia a reconhecimento de gestos por radar - mas que por agora surge com capacidades bastante modestas e que já foram implementadas no passado por outros métodos (como o detectar do pegar no smartphone; ou o de "abanar" as mãos sobre o smartphone). Era de esperar que para estrear esta novidade, houvesse exemplos de utilização bastante mais criativos (e úteis).



O Google Assistant passa a contar com uma nova barra multicolorida no fundo do ecrã. Mais importante, conta com reconhecimento local, para respostas imediatas e sem atrasos.

Temos também o ecrã de 90Hz, que a Google diz ser o "melhor de sempre" segundo a DisplayMate. Daqui a Google saltou directamente para o preço sem entrar em mais detalhes técnicos - com o Pixel 4 a começar nos $799 (e infelizmente, parece que ainda optou por manter uma versão com 64GB de base).

Actualização: A nível de hardware, os Pixel 4 têm ecrãs de 5.7" (1080p) e 6.3"(1440p) a 90Hz, CPU Snapdragon 855, 6GB de RAM, 64/128GB, baterias de 2800mAh e 3700mAh, e câmaras de 12MP + 16MP (telefoto 2x), e câmara frontal de 8MP.


E com isto, a Google deixou aquilo que considerava mais importante no Pixel 4 para o fim: as câmaras. Temos visualização HDR+ e dupla exposição directamente no ecrã, em tempo real, para ver exactamente como irá ficar a fotografia, tudo isto possível graças à "fotografia computacional", que está constantemente a captar múltiplas exposições e a combiná-las para obter as melhores imagens. Temos white balance com assistência de A.I. para reconhecer os objectos e definir as cores que deveria ter. Modo retrato melhorado, com a ajuda das duas câmaras, para melhor lidar com cabelo ou pelos de animais. E também um novo modo nocturno, que pode fazer exposições equivalentes a 4 minutos, e que permitem captar todas as estrelas no céu nocturno.

A Google parece estar disposto a querer manter-se na liderança da fotografia computacional; e as coisas seguramente vão tornar-se mais interessantes, já que também temos a Apple com o iPhone 11 Pro a querer fazer o mesmo.




2 comentários:

  1. Quero muito um Pixel 4 64XL Oh So Orange (talvez XL), mas não sei como comprar para cá? Uhhm A Amazon ainda não tem

    ResponderEliminar
  2. A capacidade de bateria só pode ser para rir.
    Ridiculo.

    ResponderEliminar

[pub]