2020/01/23

"Tesla Hacker" diz que aceleração acidental nos Tesla é impossível


A Tesla está a enfrentar novas acusações de acelerações indevidas que causam acidentes, mas um conhecido "Tesla hacker" que já teve oportunidade de analisar registos de veículos envolvidos nesses acidentes e que conhece bem o funcionamento dos sistemas da Tesla garante que isso é impossível - ao ponto de desafiar com uma aposta quem lhe for capaz de demonstrar o contrário.

A Tesla já veio responder a esta recente petição, dizendo que não era nada mais que uma tentativa de afectar o seu valor em bolsa (que agora atingiu os 100 mil milhões de dólares e superou o valor da VW), e que todos os acidentes de "aceleração súbita" até à data foram comprovados serem culpa dos condutores, que terão carregado acidentalmente no acelerador.

Jason Hughes é um "Tesla Hacker" com habilitações para saber do que fala, e também ele diz que é impossível que um Tesla acelere acidentalmente - a não ser que o condutor carregue fisicamente no acelerador.

O sistema de aceleração by-wire é o mesmo que é utilizado por outras marcas, usando sensores redundantes para garantir a sua correcta leitura, impedindo qualquer aceleração no caso de haver qualquer anomalia na leitura. Além do mais, existem múltiplos sistemas - que incluem também o Autopilot - que garantem que o carro, por si só, nunca poderá fazer uma aceleração súbita por sua iniciativa, mas apenas uma aceleração bastante suave e gradual. Refere até que já perdeu demasiado tempo a tentar fazer alterações que permitissem que um Tesla pudesse fazer um drag race de forma autónoma; mas que todos estes sistemas impedem que se atinja a aceleração pretendida.

Por último, desmonta por completo as queixas que referem que o carro teve o acidente acelerando mesmo enquanto o condutor carregava no pedal de travão. Para além do facto do travão cortar imediatamente toda e qualquer aceleração; os travões nos Tesla são perfeitamente "tradicionais", e concebidos para serem capazes de travar o carro mesmo na "impossibilidade" do carro estar a tentar acelerar à máxima potência (e com margem de folga suficiente para o conseguirem fazer).

Confirmando os relatos oficiais da Tesla, também ele diz que todos os registos que analisou (e que foram lidos directamente dos carros, com informação adicional em relação aos relatórios "normais" que seriam disponibilizados) demonstram que em todos os casos se tratam de acelerações acidentais, sim, mas por culpa do condutor ter acidentalmente carregado no acelerador. Um fenómeno que é mais comum do que se pensa, mas que num carro eléctrico como um Tesla (mas não só) se torna mais problemático devido à resposta instantânea que tem.

1 comentário:

  1. Essa cena foi logo mostrado que todas as queixas foram feitas por 1 só gajo e que o gajo nem tesla tem... Há gente muito merda.

    ResponderEliminar

[pub]