2020/04/21

Análise ao dissipador Corsair A500

Quem não se quer converter às complexidades dos sistemas de water cooling pode contar com dissipadores "tradicionais" com capacidade suficiente para lidar com os mais poderosos CPUs do momento, e é esse o caso do Corsair A500.


Quando se monta um PC há que ter o cuidado de seleccionar hardware equilibrado. No caso dos CPU, o dissipador desempenha um papel crítico, tendo como missão manter as temperaturas dentro dos níveis estabelecidos pelos fabricantes mesmo quando se tem o CPU a funcionar a 100% por tempo indeterminado. Este objectivo complica-se para quem procura espremer mais alguns MHz do seu processador, pois este aumento de velocidade tem um inevitável impacto na temperatura do CPU; e é aqui que entram os dissipadores de alto desempenho como o Corsair A500 que hoje temos em análise.

O Corsair A500



A caixa apresenta dimensões (e peso) consideráveis, deixando desde logo antever que o produto não é propriamente pequeno.


Nas laterais encontramos informações técnicas sobre a compatibilidade (alargada) deste dissipador de calor.



Abrindo as tampas, temos num primeiro nível uma caixa com os acessórios.



O cooler vem protegido por duas peças de plástico, sendo que numa delas vem instalada uma chave philips com curso bastante grande.



A Corsair disponibiliza dois sets de montagem, um para AMD e outro para Intel, a já referida chave, manual de instruções, fitas de aperto rápido, cabos de alimentação das ventoinhas e uma bisnaga de massa térmica.



De cada lado, uma ventoinha Corsair ML120. A instalação/remoção da ventoinha está bastante simplificada, bastando fazer a mesma deslizar num plano vertical.



Este processo é possível graças às baías laterais, que dispensam a utilização de parafusos para fixar a ventoinha ao dissipador. As ventoinhas medem 120mm x 25mm, pesam 192g e têm um intervalo de operação entre 10.8V e 13.2V. Funcionam entre 400 e 2400 RPM e produzem segundo a marca um máximo de 37 dBA, para um máximo de 75CFM.



Este Cooler Corsair A500 é um dissipador de elevado desempenho, constituído por 4 heat pipes que ficam em contacto com o processador. De referir que a zona de contacto já vem com massa térmica pré-aplicada, pelo que apenas será necessário recorrer à bisnaga caso se tenha que remover e voltar a instalar o dissipador.



A instalação foi efectuada no nosso sistema de testes, que conta com um já velhinho i7-7700K. A primeira operação passou pela remoção do backplate do cooler que estava instalado para colocar o fornecido pela Corsair para este modelo de socket (1151).



Este conta com apoios para que não fique em contacto directo com a motherboard.



A fixação do backplate é conseguida através de quatro parafusos que são instalados do lado oposto.



O suporte do cooler deve ser instalado sobre os quatro parafusos. Cada suporte tem a meio um pino roscado, que será essencial para posicionar o cooler.



O suporte fica em posição após serem apertados as quatro roscas, uma em cada canto.



Para instalar o cooler é necessário remover a tampa, bastando fazer um pouco de pressão para que esta se solte.



O bloco apresenta dois parafusos com mola, são estes que vão enroscar nos dois pinos roscados acima referidos.



É nesta fase que entra a longa chave philips, com o seu curso a permitir chegar aos parafusos, para os apertar.



Antes de começar o aperto, é necessário garantir que o interior do parafuso está alinhado com o veio roscado.



Este aperto é crucial para o desempenho do cooler, pois um aperto frouxo não garante o nível de contacto desejado para a transferência de calor, e um aperto demasiado forte pode danificar o CPU, tornando-o num pequeno mas dispendioso tijolo. Infelizmente, a marca não criou um sistema que permite ao utilizador saber qual é o ponto de aperto óptimo, pelo que terão que ajustar a coisa "a olho", algo que num produto desta gama já deveria ter sido rectificado.



Finalizado o aperto, é necessário ligar a alimentação das ventoinhas, devendo ser garantido um bom posicionamento dos cabos para que não interfiram com os restantes componentes ou fluxo de ar.



O cooler é efectivamente grande e com uma ventoinha de cada lado, ocupa ainda mais espaço. Contudo, ainda ficam cerca de dois centímetros até à gráfica, o que possibilita um bom fluxo do ar.



As ventoinhas ficam pouco acima das memórias, pelo que deverão ter cuidado acrescido na sua montagem.


Em funcionamento


No caso dos testes efectuados, a aplicação para overclocking automático passou dos 4500MHz no anterior Cooler Master, para os 4800MHz neste Corsair A500, com este último a conseguir um ganho de 300MHz.


Para testar a capacidade de arrefecimento deste cooler Corsair A500, foram efectuadas duas sessões de "esquentamento" com a aplicação Prime95, capaz de puxar ao máximo por todos os cores. O Cooler Master operou em overcloking com 4 núcleos a 4500MHz e o Corsair a 4700MHz.



O dissipador HYPER 212X da Coolermaster, um low cost para cumprir os serviços mínimos, rapidamente dispara para perto dos 90ºC, passando posteriormente para os 92ºC, mantendo-se neste nível durante os 20 minutos de teste.

O A500 da Corsair consegue um desempenho mais interessante, aguentando até aos 7 minutos de carga, altura em que passa para os 81ºC, menos 11ºC (!) que o Cooler Master, sendo que os núcleos do CPU estiveram a operar a uma frequência superior (mais 200MHz). Desde logo se vê o tipo de diferença que um dissipador pode fazer.



De referir que este melhor desempenho, também só é possível graças às duas ventoinhas, que conseguem disponibilizar um fluxo de ar suficiente para manter "frescas" as inúmeras alhetas do cooler. Haverá contudo que ter em conta o ruído das ventoinhas quando a alta rotação, com as 2300rpm a gerarem 50dB a cerca de um metro de distância do PC. Este valor é bem mais simpático em situações de processamento normal, reduzindo-se para os 26dB a 960rpm, havendo picos a 30dB-1200rpm, isto numa divisão a 22ºC e medido com uma app Android a que registava um valor de 24db para o nível sonoro ambiente.


Apreciação final



Este dissipador de calor Corsair A500 não desilude, conseguindo registar um bom nível de desempenho, algo que de resto seria de esperar de um dissipador com PVP na casa da centena de euros. É um valor avultado, mas que acaba por comprovar os seus méritos.




O ruído emitido pelas duas ventoinhas, quanto operam à rotação máxima, acaba por ser o factor menos positivo, sendo que no entanto algo que não se verificará de forma contínua para o tipo de utilização típica de um PC.



Na maioria das vezes as duas ventoinhas mal se vão ouvir, algo que de resto se exige a um bom cooler. Este desempenho poderia no entanto ter sido melhorado, caso a Corsair tivesse optado por rentabilizar a zona central do cooler, algo que não acontece neste A500, com a grande abertura que se vê na imagem em cima, a servir apenas para apertar os parafusos, na instalação inicial.



Em termos globais, este cooler Corsair A500 é um bom upgrade face ao um dissipador lowcost, disponibilizando uma capacidade extra de arrefecimento, a qual permite puxar mais um pouco pelo CPU, permitindo a operação a frequências mais elevadas. É por isso merecedor de um distinto "Quente", com o preço a afastá-lo da classificação máxima..



Corsair A500
Quente

Prós
  • Design
  • Desempenho a baixas rotações

Contras
  • Preço
  • Sistema de aperto pouco claro



Dissipador Corsair A500

Quente (4/5)

2 comentários:

  1. Bom artigo!

    Depois cada um saberá se vale a pena gastar 100€ para ter mais 200MHhz de velocidade...

    ResponderEliminar
  2. Olá, uma informação, tenho um macube 310 com medida de 165mm máxima para Air Cooler, e queria comprar esse da Corsair, porém ele tem uma altura de 168,7mm será que atrapalha no fechamento da tampa de vidro ou existe ainda alguns milímetros dentro para não encostar ? Desde já agradeço, obrigado

    ResponderEliminar

[pub]