2020/04/08

Análise ao Doogee S95 Pro


A Doogee está de regresso com um novo smartphone "blindado" capaz de resistir a todo o tipo de abusos, e que tem a particularidade de contar com acessórios modulares para expandir as suas capacidades, o S95 Pro.

O S95 Pro



A Doogee é uma marca já bastante conhecida no segmento dos smartphones económicos, e que desta vez se aventura em patamares mais ambiciosos, e que até tentam recuperar o conceito de acessórios modulares que outros fabricantes já tentaram (sem grande sucesso).

O Doogee S95 Pro é um smartphone com construção robusta e resistente, que conta com um ecrã 6.3" Full HD+, CPU Helio P90 octa-core, 8GB de RAM, 128GB + microSD, dual SIM, câmara tripla
48.0MP (Sony IMX582) + 8.0MP + 8.0MP, câmara frontal de 16MP, bateria de 5150mAh com carregamento rápido, e também carregamento wireless rápido de 10W.


O módulo de bateria com encaixe magnético permite adicionar mais 3850mAh de capacidade; enquanto que o módulo de colunas vem com dois alto-falantes de 27mm e suporte para manter o smartphone numa posição mais adequada para ver filmes ou ouvir música, tem também uma bateria de 2000mAh que permite ouvir música durante várias horas sem prejudicar a autonomia do smartphone - mas ao contrário do módulo de bateria, a utilização das colunas tapa as câmaras traseiras.


Temos ainda películas de protecção adicionais (para além da que vem pré-instalada), carregador rápido 24W, e cabo USB-C.




Quanto ao smartphone em si, para além da construção robusta, temos na lateral direito o botão de power, botões de volume, sensor de impressões digitais e slot para cartão SIM 1. E do lado esquerdo, um slot separado para o cartão SIM 2 ou microSD, e ainda um botão adicional programável, que se pode configurar para três funções ou qualquer apps que se deseje (clique, duplo clique, e clique prolongado).


As câmaras



O Doogee S95 Pro vem com um sistema de câmara tripla de 48MP + 8MP (2x) + 8MP (0.5x). Curiosamente, a app oficial parece não dar acesso à resolução total do sensor, limitando as fotos a uma qualidade máxima de 12MP - o que acaba por contribuir para os bons resultados obtidos (o que é uma boa surpresa, já que nestas marcas as câmaras costumam ser o principal ponto fraco).



A app da câmara não inventa e opta por seguir um estilo simples, com os diferentes modos a serem seleccionado mediante um deslizar lateral, com modos: vídeo, fotos, efeito de profundidade (bokeh), retratos, modo nocturno, etc.



Temos ainda a possibilidade de activar a detecção de cenas "Ai" que tenta fazer o reconhecimento daquilo que queremos fotografar (comida, paisagens, plantas, animais, etc.) e seleccionar automaticamente as definições mais apropriadas.


Os resultados são bastante satisfatórios, suspeito que em grande parte devido a se estar a fazer a redução dos 48MP para os 12MP, o que permite agrupar 4 pixeis em 1, com os benefícios daí resultantes - exactamente o oposto do que muitas vezes acontecia, com modelos que faziam o redimensionamento de fotos para maior resolução só para dizer que tinham mais megapixeis.











O modo nocturno também funciona bastante bem, permitindo passar disto:

para isto:


(Fica a curiosidade de ver que resultados seria possível obter usando a app Google Camera com o modo night sight).



Em funcionamento



Com 8GB de RAM e um Helio P90, o Dogee S95 Pro não tem dificuldade em enfrentar tudo o que se deseje fazer. A quantidade de memória RAM permite manter muitas dezenas de apps em memória acessíveis a qualquer momento sem hesitações


O interface também segue o habitual no Android, com acesso ao feed do Google Assistant no ecrã à esquerda do ecrã principal, e temos também o Google Assistant à distância de um comando de voz sempre que o desejarmos utilizar. Há também toda uma enorme variedade de opções de personalização: usar a barra de navegação com botões ou navegação por gesto (ambas também configuráveis por si só); configuração do botão lateral; modo SOS para enviar mensagens a contactos conhecidos (que pode ser activado através do botão lateral); modo de previsão do uso de apps, que tentará mantê-las em memória para acelerar o seu arranque; reconhecimento de gestos e toques (duplo toque para acordar, desenhar um C para aceder à câmara, etc. etc.) Coisas comuns nos smartphones com MediaTek, mas que não deixarão de ser úteis para quem delas quiser tirar partido.




Há no entanto alguns pormenores que deveriam ser revistos. Tendo seleccionado a língua portuguesa, detectei alguns locais onde alguém terá clicado "ao lado", e escolhido textos em polaco (penso eu) em vez dos textos em Português. Algo que poderá ser facilmente corrigido através de uma actualização.


[Aceitar os termos e condições das actualizações por WiFi obriga a seleccionar duas caixas numa língua que definitivamente não é o português que conhecemos - talvez seja o Acordo Ortográfico de 2020!]


Os módulos



Um dos pontos diferenciados do S95 Pro é o seu suporte para módulos adicionais, e na caixa encontramos um modulo de bateria (3850mAh) para autonomia expandida, e um que adiciona uma coluna de som mais poderosa para quem privilegiar o uso multimédia para ver filmes ou ouvir música, e que também tem bateria de 2000mAh integrada.

Para isso o smartphone conta com uma grelha de contactos (4x4) na parte traseira, que fazem a respectiva ligação aos módulos de expansão.



Os módulos usam um sistema de encaixe magnético, que simplifica o processo de os colocar e remover com facilidade. Como ponto contra, a utilização dos módulos impede a utilização da bússola digital.


Diga-se que mesmo sem os módulos instalados, a utilização da bússola digital não é lá muito fiável, mas será o preço a pagar pela utilização do sistema de encaixe magnético.



Ambos os módulos contam com ficha USB-C para serem recarregados, e têm botões para serem ligados / desligados de forma independente do smartphone. Teria sido simpático que ao retirar os módulos do smartphone estes ficassem desligados automaticamente, mas é preciso fazê-lo manualmente.



O módulo da coluna tem também um suporte dobrável que permite manter o smartphone numa posição mais adequada para ver vídeos.


Como será de imaginar, a utilização de qualquer um dos módulos torna o S95 bastante mais volumoso e pesado... Mas considerando que a alternativa seria transportar mais um power bank ou uma coluna Bluetooth, é algo com o qual se pode viver - e sempre que não for necessário, basta deixar os módulos em casa.


Apreciação final



Foi com alguma surpresa que encarei o facto da Doogee apostar no sistema de módulos adicionas para este S95 Pro - uma jogada que não deixa de ser arriscada, considerando o pouco sucesso de projectos idênticos de outras marcas (a Motorola também o tentou fazer). Investir num smartphone que venha com módulo de bateria e coluna adicionais, com o consequente agravamento de preço, será sempre direccionado para um público muito mais reduzido que o smartphone "sozinho"; mas por outro lado, tornar-se-á particularmente interessante para quem já tiver por hábito fazer-se acompanhar de um power bank e coluna Bluetooth.

A nível da qualidade de construção e das características de hardware o S95 Pro não desaponta - bem pelo contrário, com os seus 8GB de RAM a permitirem-lhe enfrentar todo o tipo de tarefas sem qualquer preocupação. E, é também bom ver que o tradicional ponto fraco - a câmara - neste modelo torna-se um ponto forte, ajudando a digerir melhor o seu preço de 426 euros.

Por isso, este S95 Pro sai daqui com um quente "bastante quente", que só não é escaldante por ainda vir com um Android 9 em vez do Android 10 que seria desejável para um smartphone lançado nesta altura (e com patch de segurança de Janeiro, quando já estamos em Abril).




Doogee S95 Pro
Quente

Prós
  • Câmaras
  • 8GB de RAM
  • Autonomia
  • Aposta no sistema modular

Contras
  • Preço
  • Peso e volume do conjunto quando usado com os módulos


A Doogee disponibilizou-nos alguns cupões de desconto para os vários modelos do S95 na sua loja oficial:


Galeria de fotos











Doogee S95 Pro

Quente (4/5)

4 comentários:

  1. Deixei de comprar marcas como Doogee, cubot, blackbview, injoo, leagoo etc etc ,,,,,,,updates zero. E se por acaso temos o azar de trazer um bug qualquer nunca mais vais ser resolvido.....
    Mais vale apostar actualmente em xiaomi, realme etc...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exatamente o mesmo que eu... É pena, pois alguns até têm equipamentos interessantes.

      Eliminar
  2. Alguém sabe me informar se o s68 e bom?


    ResponderEliminar
  3. Hoje chegou o meu s95 pro e não consigo apanhar rede, nem 2 G, que barrete 😟

    ResponderEliminar

[pub]