2020/04/30

Intel revela CPUs Comet Lake 10th gen para desktops


Depois de ter entrado na sua 10ª geração de CPUs pelos modelos mais poupados destinados aos portáteis, a Intel apresenta finalmente os seus Core i7 e i9 mais poderosos da série Comet Lake destinados aos computadores desktop, e que podem chegar aos 5.3GHz.

A Intel apresentou a sua nova gama de 32 novos CPUs de 10ª geração destinados aos computadores de secretária, com o foco a ir naturalmente para as séries Core i7 e Core i9, cujos modelos de topo são os Core i7-10700K (8c/16t) e Core i9-10900K (10c/20t) com frequências base de 3.8 GHz e 3.7 GHz respectivamente. Obviamente que quem procura estes CPUs não está interessado na sua frequência base mas sim naquilo que conseguirão suportar ao serem puxados ao máximo... e mais uma vez a Intel não desilude, apostando numa verdadeira confusão de condições para diversas modalidades de Turbo Boost.


Isto significa que o Core i9 poderá chegar aos 5.3GHz para um dos seus núcleos de processamento, mas apenas se a temperatura o permitir. De resto, temos limites diferentes caso se trate de ter um núcleo de processamento a trabalhar, ou todos, naquilo que a Intel designa por modos: Turbo, All-Core Turbo, Turbo Boost 2.0, Turbo Boost Max 3.0, e ainda o Thermal Velocity Boost. Tudo coisas que me parecem ser desculpas para quem está a tentar fazer passar habilidades de overclook como sendo "funcionalidades". E não esquecer que com isto os TDP anunciados para estes CPUs é meramente indicativo, sendo que facilmente podem atingir o dobro(!) dos 125W indicados como referência no caso dos i9-10900. Ah... e junte-se a isto o facto de precisarem de um novo socket LGA1200... e continuarem sem PCIe 4.0, o que é verdadeiramente incrível. Ao menos, já vêm com correcções em hardware contra as mais conhecidas variantes do Spectre e Meltdown.


Com a AMD a lançar CPUs cada vez mais apetecíveis, a Intel deixa de ter a vantagem que teve durante vários anos e que lhe permitiu "relaxar" o ritmo de evolução. Resta saber se agora estará apta a retomar um ritmo acelerado, mas tendo que enfrentar ameaças de outros sectores - como a transição da Apple dos CPUs Intel nos seus Macs e MacBooks para os seus próprios CPUs ARM, que poderá incentivar o resto do sector a seguir em direcção idêntica.

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Eu só não compro AMD porque não tenho €€€ para trocar de PC, senão vinha já um Asus G14 com CPU AMD e gráfica nvidia

      Eliminar

[pub]