2020/06/07

Signal revela a pouca informação que sabe sobre os utilizadores

A app Signal, que faz questão de levar a privacidade dos utilizadores ao extremo, revelou a única informação a que tem acesso e que pode disponibilizar às autoridades se a isso for obrigada.

Hoje em dia todas as apps de mensagens tentam assegurar a privacidade dos seus utilizadores referindo que as suas mensagens de texto, voz e vídeo, são encriptadas. No entanto, o problema é que na maioria dos casos também as próprias empresas têm acesso a esses dados e, levando-se o caso ao limite, poderão ser forçadas a ceder tudo isso às autoridades, ou até acedido por algum funcionário com más intenções.

No caso da app Signal, a solução para isso baseia-se num princípio muito simples: não há nada que possam entregar às autoridades, ou a que algum funcionário possa aceder indevidamente, pois essa informação simplesmente não existe / está acessível. Aliás, o próprio CEO dá o exemplo de revelar publicamente toda a informação que o serviço guarda sobre a sua conta (e de qualquer outro utilizador), e que se limita a ser a data de instalação da app e a última vez que a app foi utilizada - e desafia o CEO de qualquer outro serviço de mensagens a revelar toda a informação que o serviço guarda sobre si.

O Signal é o exemplo perfeito que demonstra que os utilizadores não têm que ser constantemente monitorizados e espiados, com as suas conversas analisadas para se saber que interesses têm e que publicidade deverão ver da próxima vez que visitarem um qualquer site na internet. Nem tão pouco que um serviço em que confiem se possa vir a tornar, no futuro, um serviço em que desconfiem ou que seja comprado por outra entidade. E, numa altura em que o roubo de dados é uma constante, é também uma garantia adicional de que mesmo que se chegasse a esse ponto, não haveria quaisquer dados úteis para roubar... a não ser a data de instalação da app e da sua última utilização.

Se estiverem a despedir-se de um serviço de mensagens por não concordarem com a forma como funciona... não deixem de colocar o Signal no topo da lista de alternativas.

3 comentários:

  1. E como são pagos pelo serviço que prestam?

    ResponderEliminar
  2. Eu só não sei é como se que ainda existem pessoas a usar o WhatsApp.

    ResponderEliminar

[pub]