2020/08/17

Edge deixa de poder ser desinstalado no Windows 10


A Microsoft volta a angustiar aqueles que gostariam de ter total controlo sobre o que o seu computador faz, ao impedir que os utilizadores possam desinstalar o Edge (a não ser que recorram a métodos mais "radicais" do que a a desinstalação normal).

Seria de imaginar que por esta altura a MS já estivesse bem informada sobre aquilo que não deveria fazer para conquistar a simpatia dos utilizadores, depois de os ter azucrinado com ecrãs irritantes de actualização para o Windows 10, e tantas outras coisas. Até relativamente ao novo Edge tentou recentemente roubar utilizadores ao Chrome, tentando fazer com que o Edge voltasse a ser o browser pré-definido no Windows (e até no Windows 7, oficialmente já sem suporte).

Pois bem, agora a MS pega numa das desvantagens que vemos nos sistemas mobile e aproveita-a para seu benefício, para garantir que o Edge se mantém nos PCs com Windows 10, mesmo no caso de utilizadores que o pudessem querer desinstalar. O Edge passou a ser disponibilizado via actualização do sistema, e com isso deixa de ser uma simples app que se possa desinstalar facilmente.

No iOS temos esse tipo de sistema, que faz com que uma actualização a uma app como o Safari ou até a simples calculadora tenha que ser feito através de uma actualização de sistema em vez de uma simples actualização via App Store. Agora, a MS aplica a mesma técnica, mas para garantir que o Edge não possa ser removido. Poderá ser facilmente escondido da vista, mas estará sempre à espreita, potencialmente recorrendo a várias tentativas ocasionais para tentar convencer os utilizadores de outros browsers a lhe darem uma oportunidade.

5 comentários:

  1. É a mesma coisa que o IE, basta ignorar a existência, eliminar icons e usar outro browser qualquer.

    não vejo isso como um real problema

    ResponderEliminar
  2. Pena que façam estas jogadas. Gosto mais do novo Edge que do Chrome mas com atitudes destas acabam por alienar os utilizadores.

    ResponderEliminar
  3. Faz sentido, como vamos tirar o Firefox e o Chrome?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisamente, andar com pens é muito 2001.

      Eliminar
  4. Conseguirá a comunidade Linux / OpenSource pegar nesta oportunidade para tentar fazer ver que a solução só pode estar no seio dos sistemas abertos?

    ResponderEliminar

[pub]