2020/09/04

Testes de gravidez digitais usam tira tradicional no interior


Como infeliz demonstração do ponto a que as coisas chegaram, temos o caso de alguém que decidiu abrir um teste de gravidez digital para ver o que tinha no interior, e o resultado é um misto de alta-tecnologia e incredulidade.

Os testes de gravidez tradicionais consistem numa tira de papel que, depois de exposta à urina, normalmente exibe uma linha de controlo e outra linha (ou símbolo) que aparece no caso de gravidez. No entanto, há também testes digitais, com um pequeno ecrã LCD, que podem levar os consumidores e potenciais futuros pais / mães que são muito mais avançados e precisos. Mas infelizmente, o que se passa é mais simples do que se possa imaginar.

Estes testes digitais consistem apenas num aparelho que, no seu interior, continua a ter e usar a simples tira de papel de teste - mas acompanhado por um sistema com um micron-controlador, sensores luminosos, pilha e ecrã, que se limita a traduzir a presença da linha de gravidez e a indicar o resultado num ecrã!




No fundo é o equivalente a ter um relógio digital que, no seu interior, tem um relógio analógico, e se limita a ler a posição dos ponteiros e mostrá-los em representação digital: com a agravante que neste caso estamos a falar de um aparelho de uso único, que será usado e deitado fora. De um lado, um teste que consiste numa tira de papel; do outro, um microcontrolador, com pilha, sensores, ecrã, que cria a ilusão de maior precisão, mas que acaba por ser uma mera ilusão.

Um teste rápido no Google diz-me que, só nos EUA, são vendidos mais de 30 milhões de testes de gravidez por ano, com mais de uma dezena de milhões referentes a estes testes electrónicos - sendo que a nível mundial esses números serão ainda mais elevados. Se alguma vez virem na situação de terem que comprar um destes testes, já ficam a saber que não ganham nada em optar pelos testes digitais, que apenas cobram mais para fazer a leitura da tira de papel tradicional, e que vão contribuir para o desperdício e lixo electrónico.

Actualização: até consegue correr o Doom!

5 comentários:

  1. Inacreditável!
    Puro lixo electrónico...

    ResponderEliminar
  2. Mas os consumidores acham que tem valor acrescentado...

    ResponderEliminar
  3. Imaginem o custo de desenvolvimento e teste de um sensor para realizar o mesmo efeito da tira de papel. A tira de papel tem provas dadas, por isso: Keep It Simple!

    ResponderEliminar
  4. imagino, pq nunca usei tal, que estes "testes electrónicos" só tenham tb 1 única utilização,
    certo ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, tal como a fita lá dentro (nem sequer é a questão de permitirem "trocar a fita").

      Eliminar

[pub]