2020/11/18

App Fui Multado agiliza contestação de multas

Ninguém gosta de ser multado, e agora há uma app para isso que potencialmente o pode livrar de uma pesada multa e dos pontos na carta.

A velha máxima "existe uma app para isso" já caiu em desuso, mas a verdade é que continua a ser verdadeira. Neste caso, existe uma app para quem foi multado e acha que o foi injustamente (ou simplesmente quer tentar livrar-se da multa e de tudo o que isso implica, como os pontos na carta).

A app Fui Multado transforma o processo de contestar uma multa em algo tão simples quanto indicar uma data, o tipo de multa, e tirar uma foto da multa. De seguida a multa é encaminhada para um advogado que irá avaliar a viabilidade da contestação da multa (não adiantará contestar multas "flagrantes"), e em caso afirmativo poderemos avançar com o processo. De notar que tudo isto tem um custo. A análise de viabilidade custa uns reduzidos €2, mas avançar com a contestação, no caso de ser considerada viável, implica um pagamento de €65.

Ainda assim, tendo em conta o valor da multa, este poderá ser um pequeno preço a pagar pela possibilidade de se livrarem tanto da multa como da penalização dos pontos na carta - especialmente para condutores que já puderem estar perto do limite. Por outro lado, é também certo que esta app tentar tirar o máximo partido da lentidão da justiça portuguesa, o que faz com que em muitos casos o processo possa simplesmente prescrever.

Dito isto... o melhor mesmo será seguir as regras de trânsito, e assim evitar precisar desta app.

4 comentários:

  1. Tal serviço é claramente algo que se enquadra na chamada "Procuradoria Ilícita!

    ResponderEliminar
  2. Olá "Unknown"! Sou advogado e pelo que vi da no website e na app os serviços são prestados exclusivamente por advogados. Pelo que não há procuradoria ilícita. E mais, pelo que percebi qualquer advogado se podes inscrever para prestar serviços jurídicos na app.
    Cuidado com as denúncias caluniosas!

    ResponderEliminar
  3. Há dois tipos de multas. As de velocidade do radar automático, em que não há interação com com os polícias , e as multas em que há interação.
    Nestas, creio que uma pessoa enervar-se e destratar o polícia não ajuda. Manter a calma e contar uma história plausível, sem grandes exageros, ajuda. Então quando é daquelas situações em que a lei deixa ao polícia margem de interpretação (houve infração, não houve, é mais grave, menos grave) quando o polícia quer é picar para ferrar a multa maior ("Sabe quantos mortos já houve nesta estrada por causa dessa infração?!) é melhor manter a calma. Às vezes escapa-se.
    Esta dos 2€, depois de multado, não está mal pensada, para multas em que possa haver escapatória ou redução.
    Além dos advogados à distância, acho que vale a pena falar das consultas médicas à distância para renovar a carta. Com isto do Covid tive que ajudar um familiar. Custa à volta de 50€ (a consulta e o atestado são à volta de 30€ e depois telefona uma moça para ajudar a preencher os dados no site do IMT - preencher os dados no IMT é muito fácil, mas não sei se pode prescindir desta assistência e pagar menos 20€ ). Pagamento antecipado, videoconferência à hora marcada, "Feche os olhos e toque na ponta do nariz, ponha-se em pé, leia as letras nesta folha que estou a mostrar, vou carregar o atestado no site do IMT" - e já está, 50€ fora do bolso (e depois telefona a moça). A carta chegou-lhe pelo correio passados poucos dias. Também é verdade que com o Covid as cartas duram e duram, pode-se conseguir mais barato. Agora, que é sem chatices, é.

    ResponderEliminar
  4. Muita gente contesta todas as multas, e por vezes têm razão... podem perfeitamente meter no radar que o limite é por exemplo 70 Km/h quando na realidade é 90 km/h porque já passou por um cruzamento ou entroncamento que automaticamente anula esse sinal de velocidade antes do mesmo... mas que a polícia por desconhecimento pode meter lá os 70 Km/h em vez dos 90 Km/h e no fim pode ser a diferença entre ter todos os problemas e não ter problema nenhum associado à sua carta... ou serem menos graves as consequências.
    E quem diz isso de já ter passado o cruzamento/ entroncamento fala de placas de trânsito que estão lá mas que são piratas (não foram devidamente aprovadas por quem de direito responsável por essa estrada/ rua/ etc.) e que por isso não têm validade legal para efeitos de multa.
    E por aí em diante.

    ResponderEliminar

[pub]