2020/11/21

Rádio-telescópio de Arecibo vai ser desmantelado


O icónico rádio-telescópio de Arecibo vai ser desmantelado, por não apresentar condições de segurança para a sua reparação.

O rádio-telescópio com 305 metros de diâmetro, e que durante mais de meio-século foi o maior do mundo, sofreu um acidente em Agosto, quando um dos cabos de sustentação auxiliares se quebrou e danificou a superfície do prato reflector. Embora estivessem em curso os preparativos para o seu arranjo, a 6 de Novembro a situação complicou-se com a ruptura de um dos cabos principais. Uma surpresa inesperada, já que este cabo deveria ter capacidade mais que suficiente para resitir ao esforço a que estava sujeito.

Os engenheiros vieram a descobrir que o cabo rebentou com apenas 60% da carga que deveria suportar, e o fez numa altura de bom tempo em que não havia más condições atmosféricas - algo que obrigou a suspender e repensar todos os planos, sendo que uma inspecção aos demais cabos revela que também eles apresentam sérios sinais de fadiga e também estão em risco de rebentar, causando o colapsto catastrófico de toda a secção receptora suspensa que pesa "somente" 820 toneladas.

Assim, a decisão final, para não por em risco a vida dos trabalhadores, será a de desmantelar completamente este histórico rádio-telescópio, deixando que o FAST chinês com 500 metros passe a ser o único desta ultra-restrita classe dos mega-rádio-telescópios.

5 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito triste o que está acontecer, é o princípio do declínio da nossa civilização, enfim....Em vez de apostarmos nas tecnologias, só vivemos da ganância, pobreza e guerras sem sentido.Enfim....

      Eliminar
  2. Essa, é a triste verdade no momento que atravessamos, de que impera a ganância, a mentira o suborno e a tristeza para a maior parte das populações no mundo inteiro. E ver a actual civilização a declinar tão rápido . . ,faz sofrer. É triste

    ResponderEliminar
  3. Só me faz lembrar uma coisa:
    Battlefield 4: Rogue Transmission

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

[pub]