2020/12/08

Inglaterra abre 1ª estação de serviço dedicada exclusivamente a carros eléctricos

Com a transição para os automóveis eléctricos virão grandes alterações de comportamento "automóvel", e no Reino Unido já abriu a primeira estação de serviço dedicada exclusivamente a carros eléctricos.

Esta estação conta com 36 postos de carregamento eléctrico de 350 kW, e é apenas uma de mais de uma centena de estações que a Gridserve vai abrir no território ao longo dos próximos cinco anos. Cada posto pode fornecer até 350 kW, suficiente para dar mais 320 km de autonomia em cerca de 20 minutos. E, como não poderia deixar de ser, a energia é proveniente de fontes renováveis, incluindo a cobertura com painéis solares que cobre os postos de carregamento, e uma megabateria de 6MWh que ajudará a equilibrar os consumos durante o dia.

Ao contrário do que acontece com os automóveis a combustão, que obrigatoriamente têm que fazer uma visita aos postos de abastecimento, os automóveis eléctricos eliminam (quase) por completo essa necessidade, já que para a esmagadora maioria das pessoas será suficiente recarregarem o carro em casa para as viagens que fazem no dia a dia - e com isso significa que podem dizer o adeus definitivo às estações de serviço. As excepções serão as viagens de maior duração, em que será necessário recarregar o carro, ou fazer as paragens recomendadas para descansar; ou ainda verificar e ajustar a pressão dos pneus, embora isso também possa ser feito em qualquer lado usando um mini-compressor portátil.

Seja como for, é um primeiro passo que fará com os postos de reabastecimento se comecem a converter em postos de recarregamento. No Reino Unido fala-se proibir a venda de carros novos a combustão em 2030, e de carros híbridos em 2035. Pelo que, daqui por mais 20 anos, as novas gerações já nem sequer saibam o que era "atestar o depósito".

3 comentários:

  1. "visita aos postos de abastecimento, os automóveis" ELÉTRICOS "eliminam (quase) por completo essa necessidade"

    ResponderEliminar
  2. Admira-me isto não ter aparecido primeiro aqui na tugolândia.
    A ver se alguém vai a correr imitar, e depois convêm dizer que é uma inovação mundial, claro. ahah

    ResponderEliminar

[pub]