2020/12/06

MEO multada em 84 milhões por combinar preços com a Nowo

Os operadores de telecomunicações têm estado amuados com a ANACOM, mas desta vez a MEO terá que ficar amuada com a Autoridade da Concorrência, que a multou em €84 milhões por combinar preços com a Nowo.

Os operadores, neste caso a MEO, que tanto se fazem passar como os melhores amigos dos consumidores, relembrando-nos continuamente como temos um excelente serviço e que o mercado cá em Portugal funciona perfeitamente em termos de concorrência, parece não ter conseguido demonstrar isso à Autoridade da Concorrência (AdC). Pelo contrário, a AdC considerou estar mais que demonstrado que houve combinação de preços com a Nowo.

O caso remonta a 2018, sendo referente ao acordo MVNO (operador móvel virtual) celebrado entre a MEO e Nowo em 2016. É que além do contrato normal de acesso à infraestrutura, a MEO e Nowo acordaram também em múltiplas condições anti-concorrenciais, como a da Nowo não lançar serviços móveis fora das áreas geográficas onde disponibilizava serviço fixo. A Nowo comprometeu-se também a não lançar tarifários móveis de valor inferior a 5 euros, e a aumentar o preço e reduzir a qualidade nalguns dos seus pacotes.

Um caso a ter em conta da próxima vez que a MEO emitir comunicados a dizer o quanto se preocupa com os consumidores portugueses, e como as condições praticadas por cá são extremamente concorrenciais... Sim, concorrenciais de acordo com aquilo que ela própria combina e / ou exige que os outros sigam.

3 comentários:

  1. 84 milhões ainda foi pouco...

    ResponderEliminar
  2. O clássico... as coimas para este tipo de crimes são sempre muito abaixo do possível lucro. Vergonha.

    ResponderEliminar
  3. Com multas assim baixinhas vale a pena não seguir as regras que promovem a concorrência.

    ResponderEliminar

[pub]