2021/03/15

Google enfrenta processo por tracking em modo incógnito

Apesar de ter feito os possíveis para se livrar, a Google vai mesmo ter que enfrentar mais um processo, desta vez referente à acusação de que continua a fazer tracking dos utilizadores mesmo quando se usa o modo incógnito do Chrome.

Os utilizadores que avançaram com este processo acusam a Google de enganar os clientes com o modo incógnito, prometendo uma falsa sensação de segurança e privacidade que, argumentam, não se concretiza na prática. A Google tentou livrar-se do caso, dizendo que o modo incógnito deixa bem explícito que não irá gravar informação localmente, mas que essa informação pode continuar a ser recolhida pelos sites que se visitam. Só que juiz achou que havia matéria suficiente para que o processo avançasse para os tribunais, e assim será mais um dos muitos casos que a Google terá que enfrentar.

A verdade é que, a não ser que se utilizem ferramentas adicionais, o modo incógnito de nada serve para manter os utilizadores incógnitos. E com o peso que a Google tem na publicidade na internet, estando presente na esmagadora maioria dos sites, quer através da pub (Google Adsense) quer através do seu serviço de estatísticas das páginas (Google Analytics) continuará a poder fazer o tracking dos utilizadores quase tão bem como faz com o browser em modo normal (a não ser que se usem extensões de ad-blockers que também bloqueiem os serviços de tracking).

Parece-me é que os casos começam a ser tantos, que nos arriscamos ver um efeito dominó, em que a decisão de um irá influenciar as decisões que se seguem, e podendo terminar com a Google a ser forçada a fazer alterações drásticas à forma como faz o tracking dos utilizadores. Se for esse o caso, bem que poderemos esperar uma mega-campanha de retaliação, ao estilo do que o Facebook tem feito para reclamar das alterações do tracking no iOS da Apple.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]