2021/06/29

Windows 11 poderá aceitar CPUs mais antigos (mas não muito)

A Microsoft tem sido duramente criticada pelas exigências feitas a nível dos CPUs para o seu novo Windows 11, mas parece estar a tentar expandir a algumas (poucas) gerações mais antigas.

É completamente ridículo - para não dizer inaceitável - que até computadores da própria Microsoft com poucos anos, e hardware mais que capaz, fiquem fora da lista dos requisitos oficiais para o Windows 11, que por agora incluem o módulo de segurança TPM e CPUs Intel de 8ª geração ou AMZ Zen 2. Mas agora, com o lançamento do primeiro Windows 11 Preview, a MS diz estar a tentar avaliar se o Windows 11 poderá ser alargado também aos CPUs Intel de 7ª geração (Kaby Lake) e AMD Zen 1.

A MS tenta justificar a limitação dos CPUs para poder "assegurar" o desempenho, segurança e fiabilidade - o que desde logo parece ser um mau prenúncio para o Windows 11. Ficaria bastante mais descansado se a MS nos dissesse que o Windows 11 estava tão optimizado que até podia correr eficientemente num CPU a 1GHz com apenas 1GB de RAM. Se nos está a dizer que um CPU topo de gama com 3 anos não serve... é motivo para ficar preocupado.

Claro que resta a possibilidade de serem lançados "patches" não oficiais que enganem o Windows 11 e o deixem funcionar em qualquer CPU - e se vier a ser esse o caso, ainda mais fará sentido perguntar: "Microsoft, porque não fizeste tu isso logo desde o início?" E disponibilizar o Windows 11 gratuitamente para uso doméstico tambem teria sido um excelente passo para marcar o arranque desta nova geração do Windows.

4 comentários:

  1. "A MS tenta justificar a limitação dos CPUs para poder "assegurar" o desempenho, segurança e fiabilidade - o que desde logo parece ser um mau prenúncio para o Windows 11. Ficaria bastante mais descansado se a MS nos dissesse que o Windows 11 estava tão optimizado que até podia correr eficientemente num CPU a 1GHz com apenas 1GB de RAM. Se nos está a dizer que um CPU topo de gama com 3 anos não serve... é motivo para ficar preocupado."

    Excelente ponto de vista. Não faz sentido limitar o número de processadores disponíveis para um Windows correr em segurança, quando existem "n" distribuições linux muito mais seguras e que correm em computadores muito mais fracos.

    ResponderEliminar
  2. "Ficaria bastante mais descansado se a MS nos dissesse que o Windows 11 estava tão optimizado que até podia correr eficientemente num CPU a 1GHz com apenas 1GB de RAM."

    funciona completamente ao contrário. Ao requerer gerações mais recentes podem apoiar todo o sistema operativo em extensões de hardware mais recentes, como SSE4, AVX, AVX2 e tantas outras.

    Ao requerer TPM e extensões de virtualização podem desenhar a segurança de uma forma completamente diferente.

    Todos estes pressupostos inviabilizam por completo qualquer tipo de retro compatibilidade.

    E é normal. Isto é a Microsoft a ouvir o que o povo quer. A apple faz exatamente o mesmo entre iPhones (fragmentação de features do iOS) e fez até agora com os apple m1 para os apple intel. As pessoas votaram com a carteira que isto é bom, por isso a microsoft ouviu.

    ResponderEliminar
  3. mais um sistema operativo que irei saltar.... venha o windows 12...

    ResponderEliminar
  4. Quando inteligentemente mudarmos de SO, este parasitismo econômico termina, mas os lobbies MS compram mentes.

    ResponderEliminar

[pub]