2021/07/25

Incêndio em França deixa Portugal e Espanha às escuras

Um incidente com um hidroavião durante um incêndio em França deixou partes de Portugal e Espanha sem electricidade, ao fazer com que a Penínsua Ibérica ficasse desligada da rede europeia de energia.

O apagão que foi sentido ontem por todo o país tem uma origem bastante mais curiosa, e talvez preocupante, do que se poderia imaginar. Um incêndio em França e um "incidente" não especificado com um hidroavião de combate aos fogos obrigaram a cortar uma linha de muito-alta-tensão. O fornecimento de electricidade foi transferido para outra linha nos Pirinéus, mas essa transferência causou uma sobrecarga que acabou por afectar o fornecimento em França e desligando a rede Ibérica da rede eléctrica Europeia.


Esse corte súbito fez desaparecer de forma imediata 1000 MW em Portugal e 2350 MW em Espanha, e fazendo com que ambos os países tivessem que se "desenrascar" para estabilizarem as suas redes sem a ajuda Europeia.

Teria sido uma excelente oportunidade para demonstrar que Portugal, que por diversas vezes já teve o consumo completamente assegurado pelas renováveis, poderia lidar com este tipo de incidente - mas infelizmente não foi o caso. Resta esperar que a situação seja analisada, para verem que sistemas falharam, para tentar evitar que o mesmo volte a acontecer no futuro.

6 comentários:

  1. A pergunta que faço é a seguinte: onde é que está a garantia de potência paga aos produtores de energia a funcionar e que custa milhares de milhões, todos os anos a todos nós em funcionamento? Agora era excelente a oposição mostrar serviço, unindo-se e fazer alguma coisa para reaver parte desse dinheiro, porque só estamos a engordar os bolsos dos operadores e que na prática não serve para nada.

    ResponderEliminar
  2. Não foi o caso, porque a energia renovável é intermitente. Logo, pouco fiável. Parabéns a todos os que promovem diariamente a energia verde!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falar do que não se sabe e sem se tentar perceber dá asneira.
      O problema não foi falta de capacidade de produção, falta de "caminhos alternativos" na rede.

      Eliminar
    2. para mais o obvio: a energia renovavel é intermitente, mas é tambem complementar: Na altura de maior consumo temos o sol, nas restantes podemos ter eolica, hidrica (rio ou mar), vulcanica e ainda biomassa... e por isso podemos perfeitamente nao depender de carvao ou ate gas natural ou outra fonte na renovavel.
      é tao obvio com ate os inteligentes que nos governam ja perceberam isso e traçam ja planos pra fechar as centrais de carvao

      Eliminar
  3. Há que fechar Matosinhos e Sines. Para depois ficar dependente!

    ResponderEliminar
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

[pub]