2021/07/06

Mini carro eléctrico Hong Guang Mini faz sucesso na China

Podendo fazer repensar a necessidades de carros grandes que persiste no ocidente, na China o económico Hong Guang Mini eléctrico tem feito sucesso.

O Hong Guang Mini foi lançado o ano passado e já vendeu mais de 260 mil unidades, esperando-se que este ano venda 400 mil unidades e no próximo expluda para os 1.2 milhões. Isto porque o carro, mais que um simples "carro", tem-se tornado num fenómeno de moda, em que toda a gente quer um, e criando uma enorme comunidade de personalização dos veículos em seu redor. E, claro que não se poderá ignorar que o carro custa apenas 3790 euros - o que só o coloca em patamares de valores que são pedidos por alguns portáteis, por exemplo; e cerca de 1/4 do valor pedido pelo económico Dacia Spring eléctrico.
Com uma velocidade máxima de 100 km/h e uma autonomia de 160 km, o Hong Guang Mini não será o carro ideal para grandes viagens, mas para quem procurar uma forma de de deslocar no seu dia a dia, será mais que suficiente - e o mesmo seguramente se aplicaria por cá, considerando que temos o preço da gasolina a aproximar-se do marco dos €2 por litro!

Para alguém que gaste 80 euros de gasolina por mês, a simples poupança do valor dos combustíveis faz com que um carro destes fique automaticamente pago ao fim de 4 anos - e por enquanto ainda vamos podendo carregar um carro eléctrico com painéis solares sem pagar nenhuma taxa adicional por isso (algo que poderá não se manter durante muito mais tempo).

5 comentários:

  1. Já tinha "cruzado" com este carro quando li algo do tipo "electrico que vende mais que a tesla"...

    Eu acho-o espectacular! Não é certamente o carro mais bonito, melhor equipado ou com os acabamentos de topo, mas pelo preço e para o que se propõe dificilmente se encontra melhor. Na Europa, até uma "trotinete" como o Renault Twizy (e já andei muito num) custa 3 vezes mais e oferece muito menos.

    Para os trajectos casa/trabalho e levar os miúdos à escola, acho óptimo!

    ResponderEliminar
  2. Excelente proposta. 👍👍

    ResponderEliminar
  3. Este modelo, tal como muitos outros vendidos no mercado Asiático, é uma autêntica lata de sardinhas com rodas, que não é vendido cá porque nunca na vida iria cumprir as normas de segurança Europeias.
    Podem ver uma análise neste vídeo:
    https://www.youtube.com/watch?v=11ExTYIEJm0

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode ser vendido cá da mesma forma que o Citroen AMI e Twizy é. Aquilo é um quadriciclo. Não tem de respeitar as mesmas regras de um carro. É um papa reformas elétrico. Custa pouco mais que uma bicicleta elétrica decente, impecável!

      Eliminar
    2. Também é a mesmo opinião que tenho... Não tem que ser comparado com um Dacia Spring ou outro qualquer carro.

      Um Twizy, que custa cerca de 12 mil eurou, também não tem ESP, ABS, Airbags, cintos com pre-tensores, sinalização automática em caso de acidente, e todas as outras mil e uma coisas que são obrigatórias nos dias de hoje, no entanto tem homologação para circular, só não o pode fazer em Auto-estradas ou equiparadas.

      Eu preferiria este chinês!

      Eliminar

[pub]