2021/08/19

Windows 11 dificulta escolha de browsers alternativos

A MS parece estar a voltar a velhas tácticas no Windows 11, dificultando a vida aos utilizadores que quiserem usar outros browsers.

Alterar o browser pré-definido do sistema no Windows 11 vai causar dores de cabeça acrescidas, ou até fazer com que os utilizadores desistam do processo por nem saberem como o fazer - o que será o propósito da Microsoft. Ao contrário do que acontece no Windows 10, o Windows 11 dará apenas uma única oportunidade para os utilizadores marcarem um browser alternativo como sendo a sua opção. Caso por algum motivo os utilizadores se esqueçam de marcar a opção "usar sempre esta app", serão confrontados com um ridículo processo de mudança de app pré-definida.

Um processo que, no caso de quererem utilizar o Chrome como browser do sistema, obrigará a seleccioná-lo como app escolhida, individualmente, para cada um dos seguintes tipos de ficheiros: HTM, HTML, PDF, SHTML, SVG, WEBP, XHT, XHTML, FTP, HTTP, e HTTPS.
Poderia pensar-se que, com tudo o que a Microsoft já passou, já deveria saber que este tipo de medidas apenas vai causar frustração e - muito provavelmente - exigências a nível Europeu para que volte a facilitar o processo de escolher apps alternativas em vez de tentar obrigar os utilizadores a usarem as suas (neste caso o seu browser Edge). De notar que, em coisas como as pesquisas feitas no Windows, a MS já fazia questão de as abrir sempre no seu browser, independentemente dos utilizadores terem seleccionado outro browser como pré-definido.

É uma situação bastante infeliz, que pode acabar por gerar sérias dúvidas quanto à sua aparente boa vontade face ao open-source e Linux.

2 comentários:

  1. Não é o fim do mundo.
    É a mesma coisa que usar o Edge e o Google e todos os seus serviços dizerem para usar o Chrome com multiplas pop-up's.
    Todos o fazem, não é só a Microsoft.

    ResponderEliminar
  2. O Capitalismo definitivamente necessita de regulamentação, caso contrário será a maior e mais cruel de todas as ditaduras.

    ResponderEliminar

[pub]