2021/09/05

Europa atrasada década nas emissões poluentes

A Europa definiu metas para a redução das emissões poluentes até 2030, mas um estudo vem revelar que essas metas não serão cumpridas até 2051.

Estamos num momento crítico que se pode tornar num ponto "sem regresso" nas alterações climáticas, com efeitos secundários imprevisíveis. Para tentar evitar isso, a UE definiu uma redução nas emissões poluentes em 55% até 2030, mas um, estudo vem arruinar essas previsões, dizendo que a este ritmo esse objectivo só será conseguido em 2051, a não ser que sejam feitas alterações substanciais.

Também o objectivo de que 40% da energia utilizada seja de origens renováveis está posta em causa, com esse mesmo estudo a dizer que isso só deverá ser conseguido em 2043.

A grande questão é que este tema, para o qual já se alertaram os países há anos, continua a ser encarado como algo que só irá afectar as próximas gerações, e que por essa altura elas já devam ter tecnologia suficientemente avançada para desenrascar o caso.

Da nossa parte, cabe-nos a nós também ir contribuindo para esse objectivo, reduzindo os consumos desnecessários que possam ser evitados, instalando painéis solares para reduzir a dependência energética, a alertando os amigos para isso.Esperemos que este processo de reduzir as emissões poluentes possa acelerar o passo, evitando que as alterações resultantes das emissões poluentes das indústria humanas se agravem.

2 comentários:

  1. Claro que não, por exemplo a Alemanha gastou milhares de milhões de euros para fechar as centrais nucleares que produzem 0 gases poluentes para substituir por energia renovável, depois viu que mesmo depois de ter gasto tanto dinheiro a produção não chegava a ser metade do que as nucleares produziam e devido a pressões dos ambientalistas tiveram que reabrir, renovar e construir centrais a carvão e a gás natural. À indícios que a França vai pelo mesmo caminho. Quando se resolvem problemas científicos com politica, o dinheiro é gasto e no fundo à regressão, e vejo exemplos disso em tantas áreas que até assusta. Façam como no covid, se à um problema cientifico para resolver perguntem à ciência como se o pode resolver e dêem o dinheiro necessário para que os cientistas encontrem as soluções e para que se as possam por em prática, e grande parte os problemas do planeta desaparecerão.

    ResponderEliminar
  2. HÁ indícios que a França vai pelo mesmo caminho; o dinheiro é gasto e no fundo HÁ regressão; se HÁ um problema cientifico

    ResponderEliminar

[pub]