2021/12/24

Tesla Model S explodido com 30 kg de dinamite

O dono de um Tesla Model S ficou tão horrorizado pelo preço de arranjar as baterias, que preferiu explodir o carro com a ajuda de 30 kg de dinamite.

Os países nórdicos têm sido pioneiros na adopção dos carros eléctricos, e parecem também estar à frente de um inovador sistema de "reciclagem instantânea" com a ajuda de explosivos. Tudo porque o dono de um Model S de 2013 ficou bastante desiludido quando o carro lhe começou a apresentar erros, e centro de assistência lhe disse que teria que trocar as baterias do carro - numa operação que custaria pelo menos 20 mil euros, e - mesmo se a quisesse fazer - ainda teria que ser sujeita a aprovação por parte da Tesla.

Em vez disso, resolveu manifestar o seu desagrado de forma visualmente mais explícita, voluntariando o seu carro para um canal do YouTube que se dedica a fazer explodir coisas - e assim, indiferente às preocupações dos packs defeituosos que se podem incendiar, estamos perante o primeiro Model S que teve que mostrar o que vale face a uma explosão com 30 kg de dinamite. E, se nos crash tests os carros até resistem a coisas impressionantes, neste caso a dinamite não ficou impressionada, fazendo o carro desaparecer num instante. (De notar que o pack de baterias e motores foram retirados!)


Sou só eu que fico a pensar se o verdadeiro propósito desta explosão não será atrair a atenção de Elon Musk e da Tesla para ver se lhe ofereceriam um Model S novo? Mas não me parece que vá ter sorte, quando a Tesla nem sequer tem Model S e X para entregar na Europa.

11 comentários:

  1. Devia ser obrigado a apanhar os milhares de fragmentos que espalhou... Enfim

    ResponderEliminar
  2. Estes eléctricos nunca convenceram(pela manutenção de baterias e assistência às mesmas)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E os exemplos dos eléctricos com centenas de milhares de kms com quase 0 manutenção?

      Eliminar
    2. Quais? Se conhece divulgue esses exemplos de Zero manutenção.

      Eliminar
  3. Só o tempo dirá se realmente isso compensa a nível do ambiente, mas baterias e manutenção com preço assim não vale a pena.

    ResponderEliminar
  4. Os VE do ponto de vista de condução e segurança estão muito à frente dos motores a combustão. Obviamente que este fabricante possui muito mediatismo, eu por exemplo tem um VE, adquiri novo, não é Tesla, já vou com 50000 km e nunca me deu problemas, apenas tive um furo, pneus Michelin, excelentes pneus, mas não à prova de parafusos caídos de pesados. A qualidade de vida a bordo, o conforto, a disponibilidade da potência em situações onde a mesma é necessária, os apoios à condução inteligentes e funcionais, levam a concluir que face à relação preço / qualidade é o melhor e não é necessário pagar 50000 €. O futuro à ciência pertence, mas o impacto que o petróleo tem tido na nossa casa, este planeta, é brutal e nem mesmo os VE fogem a isso, pois muitos dos materiais usados são provenientes deste. Atualmente e face ao conhecimento que possuímos é a solução mais adequada.

    ResponderEliminar
  5. O grande problema vai ser aqui a uns anos quando aumentar os veículos eléctricos no mundo e começar a faltar os componentes das baterias.
    Uma coisa é baterias de tlm,tablets e portáteis outra é baterias de automóveis.

    ResponderEliminar
  6. e daqui a alguns anos quando faltarem os recursos para combostiveis fósseis

    ResponderEliminar
  7. Não teria sido mais fácil vender o carro? Vale sempre dinheiro, nem que seja para sucata.

    ResponderEliminar

[pub]