2022/01/30

GPU fingerprinting identifica utilizadores na web pelas placas gráficas

O fim dos cookies não vai ser o fim do tracking dos utilizadores, e temos um novo GPU fingerprinting para o demonstrar.

Há muito que anunciantes e sites recorrem a outras técnicas, para além dos cookies, para tentar identificar e individualizar os seus visitantes. O chamado "fingerprinting" consiste em tentar identificar um utilizador ou grupo de utilizadores, com base na combinação específica de componentes no seu computador, e passa agora agora a contar com o GPU para adicionar mais um elemento de diferenciação.

Com o fingerprinting os sites podem individualizar utilizadores usando parâmetros como a resolução do seu monitor, a versão do browser e sistema operativo, quantidade de memória RAM, tipo de CPU, tipos de letra instalados, fuso horário, e outras coisas. Cada uma delas ajuda a limitar o utilizador a um subgrupo cada vez mais restrito que, levado ao extremo, poderá contribuir para o identificar num universo de mais de mil milhões de pessoas - num pequeno conjunto limitado a quem tiver exactamente o mesmo hardware e software, e agora também o GPU.

Investigadores descobriram que podem diferenciar entre diferentes GPUs usando o browser, detectando pequenas diferenças de desempenho que seriam imperceptíveis em uso normal. E com isso, acrescentam mais um factor que ajuda a diferenciar entre todos os que até agora estavam classificados no mesmo sub-grupo idêntico.

Este tipo de técnicas não depende dos cookies e obrigará a novas formas de combate - por exemplo, com o browser a poder enviar informação "falsa" para baralhar o fingerprinting - mas tendo em conta que alguma desta informação não pode ser falsificada para garantir que os sites continuam a funcionar devidamente e optimizados para cada visitante.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]