2022/09/19

Análise ao vivo X80 Pro

O vivo X80 Pro quer ser alternativa aos smartphones topo de gama de marcas mais conhecidas junto do público europeu, mas será que tem argumentos suficientes para isso?

No seu evento de apresentação à imprensa nacional, a vivo fez, por várias vezes, referência à filosofia que tem pautado a estratégia da empresa, "fazer bem, aquilo que é (correcto) suposto ser feito", de forma faseada, para avaliar o impacto de cada fase do processo. Depois da aposta ao nível das operadoras nacionais e da chegada ao mercado livre com equipamentos de gama média, a vivo aposta agora no segmento premium, com o X80 Pro que temos em análise.

Unboxing


O formato quadrado da caixa, lembra o empacotamento em tempos utilizado pela Huawei para os seus topo de gama, utilizando uma gravação a dourado com o nome do equipamento, fazendo igualmente referência à parceria com a Zeiss.


Dentro da caixa, à esquerda e em primeiro plano, o smartphone, envolto numa película para protecção do mesmo.

Removido o bloco que sustenta o smartphone, surgem os acessórios. Capa rígida, documentação de referência e clip para remover a bandeja dos cartões, carregador, cabo USB-C, auriculares USB-C e borrachas de substituição com tamanhos alternativos. 

O vivo X80 Pro

Como pode e deve ser exigido a um equipamento do segmento premium, este smartphone da vivo apresenta uma excelente qualidade de construção, com linhas elegantes e bem definidas, mantendo a dupla curvatura, traseira e vidro frontal, onde só o ressalto do bloco de câmaras consegue quebrar a simetria do conjunto.


Na lateral inferior, o slot para instalação dos cartões SIM, um microfone, porta USB-C e grelha para saída de som. Apesar de plana, esta superfície não é suficiente para manter o telefone na vertical, algo que de resto não se aconselha, para evitar os sempre indesejados danos. 


Do lado oposto, apenas um microfone e uma porta infravermelho.


À direita, botões de power e volume. O desnível provocado pelo bloco de câmaras, fica bem patente nesta imagem. 


Na traseira, o já referido bloco de câmaras, num formato rectangular, que ocupa a quase totalidade da largura do smartphone. O logótipo da marca surge numa zona inferior, gravado num material bastante agradável ao toque, algo que a maioria dos utilizadores não irá experienciar por muito tempo, pois a instalação de uma capa será o mais provável de vir a acontecer. Provavelmente, esta terá sido a razão para a marca apresentar uma capa com um textura muito semelhante à da traseira, se bem que com maior atrição, algo que será útil para evitar que o smartphone escorregue da mão.


Na frente, um furo na zona central superior, para a câmara. As margens laterais são quase que inexistentes, fruto da curvatura do ecrã. A superior e inferior, embora maiores, apresentam uma dimensão reduzida.  


Especificações técnicas

Em termos de hardware, a vivo apostou forte, apresentando componentes com o melhor desempenho disponível à altura do seu desenvolvimento. Um processador Snapdragon 8 Gen 1, acompanhado de 12GB de RAM, expansível com mais 4GB, armazenamento com 256GB, ecrã Amoled de 6,78" com resolução 3200×1440 (WQHD+) e uma taxa de actualização de 120Hz, seriam à partida, em termos teóricos, garante de um comportamento de excelência, para uma utilização sem reservas.
  • Processador: Snapdragon 8 Gen 1
  • RAM: 12 GB  LPDDR5 RAM
  • Armazenamento: 256 GB UFS 3.1
  • Bateria
    • 4700 mAh
    • Carregamento
      • 80 W com cabo
      • 50 W sem fios
  • Ecrã AMOLED
    • 6,78 polegadas
    • 3200×1440 (WQHD+)
    • Taxa de actualização até 120 Hz
  • Câmara
    • Frontal 32 MP
    • Traseira 50 MP + 48 MP + 12 MP + 8 MP
  • Conectividade
    • Wi-Fi 6
    • Bluetooth 5.2
    • USB Tipo-C, USB 3.1
  • Dimensões:164,57×75,30×9,10 mm
  • Peso: 219 g
  • IP68 
  • Sistema operativo: Funtouch OS 12 (Com base no Android 12.0)

Em utilização

O primeiro toque não deixa lugar a grandes dúvidas. Este é um equipamento grande, de fino recorte, com um toque muito confortável, que ajuda a compensar a largura/altura e sobretudo, o peso do smartphones, que ultrapassa as 200g.


Quem goste de um ecrã de generosas dimensões, vai por certo ficar agradado com este X80 Pro, ainda mais porque irá contar com uma resolução com 3200×1440 pixéis e 1500nits de brilho (máximo) para um maior detalhe de imagem mesmo nas zonas com maior iluminação solar, acompanhado de um elevado nível de fluidez, graças à taxa de actualização com 120Hz. Apenas a lamentar alguns (pouco frequentes) soluços, com a imagem a prender um pouco, dando a ideia que o sistema estaria adormecido, levando o mesmo alguns milissegundos a recuperar o esperado nível de desempenho. Ainda relativamente à taxa de actualização, o painel AMOLED LTPO, ao permitir uma gestão deste parâmetro até 1Hz, contribuindo positivamente para um menor consumo de bateria. 


Numa altura em que há ainda muito ruído relativamente ao sensor de impressão digital sob o ecrã, a vivo apresenta neste X80 Pro um sensor com uma área próxima de 20x30mm, o que torna o processo de desbloqueio quase impossível de falhar. A prestação é de tal forma exemplar, que na configuração inicial da impressão digital, basta uma leitura para gravar a mesma, facto digno de registo. 


Além de rápido a reconhecer a impressão digital, o sensor pode ainda ser utilizado para chamar duas aplicações directamente a partir do ecrã de bloqueio. O espaço para detecção e desbloqueio passa a ser menor, ficando uma área definida para os dois ícones de atalho, podendo estes ficar à esquerda, direita ou numa zona superior à da reservada para "apenas" desbloquear o smartphone.


Podem ainda configurar a animação a apresentar na zona de desbloqueio e utilizar a leitura simultânea de duas impressões digitais, para aceder a aplicações ocultadas anteriormente, assim como às protegidas (encriptadas).

Com duas saídas de som, o efeito estéreo funciona em função da orientação do smartphone, combinado a coluna da margem inferior, com a presente no lado aposto, para as chamadas de voz. Em termos de potência e qualidade de som, o X80 Pro oferece uma experiência muito interessante, havendo um quase que equilíbrio entre as duas colunas, ficando a das chamadas de voz a perder em termos de graves.


Ainda neste campo, uma referência às opções que procuraram responder às necessidades do público sénior e também de quem tenha problemas de audição, funcionalidades que procuram melhorar a forma como o utilizador interage com o smartphone, neste caso, em termos de áudio.







Pese embora já tenha sucessor, o Snapdragon 8 Gen 1 mantém-se como uma opção de topo, disponibilizando um nível de desempenho de excelência, apoiado num sistema de arrefecimento com câmara de vapor, que permite manter o processador em carga elevada, não baixando o desempenho.


Contudo, se estes períodos se prolongarem, o smartphone vai aquecer consideravelmente e o desempenho acaba por baixar, como poderão verificar nos testes do 3DMark e GeekBench 4 Pro.







A autonomia constitui-se como um dos trunfos deste X80 Pro, com os testes a apresentarem resultados de qualidade, ficando relativamente próximos do Find X5 Pro da Oppo  (menos 25 minutos), smartphone que apresenta um hardware semelhante, mas tem uma bateria com mais 300mAh que o este vivo em análise. 


Em termos de carregamento, uma carga completa demorou 42 minutos, com os 50% a levarem apenas 16 minutos, chegando aos 80% em 28 minutos, pelo que carregar o smartphone a meio do dia será uma opção a ter em conta, até porque numa utilização em que os jogos não sejam uma constante, é equipamento para disponibilizar dois dias de autonomia, com toda a tranquilidade, ou um dia altamente folgado, para uma utilização intensiva. 

A considerar, o efeito negativo de uma excessiva procura em fechar aplicações a correr em segundo plano, isto independentemente das configurações de bateria e aplicação definidas para que tal não aconteça, algo que facilmente poderá ser constatado através da ausência de notificações, nas aplicações para acesso às redes sociais.

Igualmente a ter em conta, a ausência de uma funcionalidade para efetuar um carregamento lento durante a noite, algo que iria evitar deixar o smartphone a carregar, já com a bateria a 100%.

FuntouchOS 12

Continuando no software, a marca confirma 3 actualizações do Android (até ao Android 15), resta agora saber quanto tempo é que a vivo irá demorar a disponibilizar as mesmas. A chegada do Android 13, poderá ser um bom indicador a este respeito, deixando desde já antever aquilo com o que os utilizadores poderão contar.


O FuntouchOS 12 a correr sobre Android 12 (patch de Setembro), segue as linhas mestras que tivemos oportunidade de apresentar aquando da análise ao vivo Y76, não sendo por isso de estranhar que as fragilidades apontadas ao nível do design, continuem a marcar presença. A gestão das cores do sistema, continua limitada às aplicações da Google, não tendo o esperado reflexo na interface de sistema. Há contudo uma novidade, com a aplicação para gestão dos temas a permitir descarregar e instalar inúmeras propostas, para alterar o ecrã principal e os ícones.

Tendo em conta que a marca manifestou a intenção de adaptar o software ao mercado ocidental, a chegada do Android 13 e uma nova versão do FuntouchOS, poderá trazer as desejadas e esperadas alterações neste campo, visto o software continuar a contar com opções mais viradas para o mercado oriental, como é o caso das diversas opções disponíveis no menu de efeitos dinâmicos, onde existem possibilidades para todos os gostos.

O bloatware continua presente, mas felizmente que em dose moderada, sendo possível desactivar algumas das aplicações, mas a maioria, não haverá nada a fazer, tendo o utilizador de viver com a presença das mesmas.


Em termos de funcionalidades, a vivo apresenta um conjunto de opções bastante completo, que procura acrescentar valor ao que o Android disponibiliza de origem. O gesto para captura de imagem é disso exemplo, com um deslizar de três dedos no ecrã a serem uma excelente alternativa ao pressionar dos botões de volume e power. 



A maioria das opções está concentrada na entrada "atalhos e acessibilidade" das definições. Divisão do ecrã, reconhecimento de movimentos (mesmo com o ecrã desligado), menu configurável para ações rápidas e agendamento de tarefas, são algumas das opções em destaque, sendo que muitas mais merecem uma análise cuidada por parte do utilizador, por forma a avaliar as suas potencialidades e utilidade, para o tipo de utilização que irá ser feita.  


O modo ultra jogo completa o ramalhete do software, apresentando opções que procuram minimizar as interrupções nas sessões que estejam a decorrer. Destaque para uma das funcionalidades disponibilizadas pela vivo, sendo possível manter um jogo a correr, com o ecrã desligado, opção muito útil para quando é necessário aguardar no jogo por uma acção (temporização), poupando no consumo da bateria. 


As câmaras


A fotografia foi desde logo um dos pontos destacados pela vivo, que não teve qualquer receio em destacar a qualidade do produto final. A expectativa estava por isso elevada e em termos globais, podemos assegurar que a vivo cumpriu, apresentando um conjunto de câmaras muito competente e bastante versátil, conseguindo disponibilizar imagens de grande qualidade, em diferentes cenários, mesmo nos locais menos iluminados, algo que se estende à camara frontal, capaz de isolar os sujeitos de forma eficiente, mesmo no caso dos que apresentam pouco cabelo.

vivo X80 Pro

Esta qualidade de resultados é suportada num sensor Samsung GNV de  1/1.3", com 50MP, abertura f/1.6 e estabilização óptica de imagem (OIS), passível de ser apresentado num arranjo Quad Bayer, ao estilo dos sensores da Sony. O sensor principal é apoiado por uma grande angular com 48MP (Sony IMX598), com abertura f/2.2 e focagem automática, e dois sensores telephoto de 12MP e 8MP, para zoom de 2x e 5x, respectivamente. A câmara frontal de 32MP, apresenta uma abertura f/2.5.


Se na fotografia nada há a apontar de significativo (para lá da baixa qualidade quando o zoom ultrapassa as 10x, com as imagens a parecerem obtidas com um filtro de "esboço"), o mesmo já não se poderá dizer do vídeo. A qualidade da imagem sai seriamente afectada com a (falta de) estabilização, pelo que captar vídeo em movimento, ou até mesmo filmar movendo o smartphone (panorama), deverá ser bem testado, antes da obtenção do resultado final. 

Além do acabamento T* coating, para minimizar o reflexo nas imagens, a parceria com a ZEISS estende-se ao perfil de cor, com o Zeiss Natural Color a disponibilizar imagens com tons neutros,  naturais, que contrastam com os tons quentes que a vivo disponibiliza de origem, que tendencialmente acabam por receber a escolha do consumidor num teste cego.

As definições estão disponíveis num muito interessante bloco de atalhos, com o controlo do formato das fotografias, temporizador de disparo, funções de apoio (linhas de enquadramento, nível e estabilizador), mestre de efeitos, marca de água e focagem em movimento. 


Em termos de interface, à esquerda uma coluna de ícones dá acesso às definições, controlo do efeito macro, modo de cor ZEISS, HDR, flash e Google Lens. Do lado direito, 3 blocos de ícones com filtros, controlo do zoom e AI, modos de fotografia e vídeo e por último, a alternância entre câmaras traseira e frontal, botão de disparo e atalho para a galeria. De referir que a interface ajusta os elementos que a constituem de forma automática, adaptando-os ao modo de fotografia ou vídeo a ser utilizado.  



Apreciação final


A entrada da vivo no mercado premium Europeu, vai naturalmente ficar marcada pelo desempenho que este seu X80 Pro irá conseguir obter durante os próximos meses. O trabalho de casa foi bem feito, estando apenas algumas arestas por limar e a boa notícia, é que a grande maioria dos pontos levantados nesta análise poderão ser colmatadas através de uma actualização de software, quem sabe já com a disponibilização do Android 13 e uma nova versão do FuntouchOS.

A qualidade do X80 Pro é inquestionável, pelo que os consumidores não irão sentir-se defraudados, se optarem por adquirir este topo de gama da vivo. É um equipamento com hardware ao nível do melhor que está disponível no mercado, de onde destacamos um fantástico sensor de impressão digital e o conjunto de câmaras, para tirar fotografias de qualidade, em qualquer cenário. Apenas o preço recomendado para o mercado nacional (1299€) poderá criar algumas dúvidas aos consumidores menos informados sobre o historial desta marca chinesa, ainda a dar os primeiros passos em Portugal, estratégia que dá seguimento à situação de relevo que a marca detém no mercado oriental, a qual lhe garante um quarto lugar no mercado mobile a nível mundial.

Se considerarem adquirir este smartphone, podem sempre optar pela Amazon aqui do lado, onde o X80 Pro com 12GB de RAM e 256GB para armazenamento está disponível por 1190€.

vivo X80 Pro

Quente

Prós
  • Qualidade de construção (excepto protector frontal)
  • Desempenho do sensor de impressão digital
  • Fotografia

Contras
  • Preço
  • Software - design
  • Estabilização de vídeo

vivo X80 Pro

Quente (4/5)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]