2014/01/14

O fim dos Pacotes Ilimitados enganosos?


A nossa guerra contra as liberdades publicitárias dos operadores ao enganarem deliberadamente os seus clientes relativamente ao tráfego "ilimitado" - e onde tentam insistentemente redefinir essa palavra  - já vem de longa data; e agora novamente volta ao tópico do dia.



Temos mais um caso de um cliente que se deparou com a triste realidade de que o seu pacote de dados "ilimitado" tinha afinal um limite - caso recorrente que tão bem conhecemos - e que supostamente terá feito com que a Direcção-Geral do Consumidor tenha novamente alertado que a internet anunciada como ilimitada é "publicidade enganosa".

Algumas pessoas poderão pensar que isto resolve o assunto e que os operadores de telecomunicação irão finalmente acabar com estes abusos - mas bastará olhar para o nosso percurso ao longo dos últimos anos para rapidamente se esfriarem essas esperanças: o absurdo do ilimitado com limites - situação que até já foi abordada na TV; e a "vitória" sobre uma campanha "ilimitada" da TMN (que demonstra que este tipo de deliberações pode surgir mas em nada modifica o comportamento dos operadores).

Neste caso, novamente me parece que as recomendações da Direcção-Geral do Consumidor não irão ter quaisquer efeitos práticos... E a nossa ANACOM (que incompreensivelmente nada tem feito quanto a isto!) vai dizendo apenas que "está em fase de preparação uma deliberação que visa reforçar os direitos dos consumidores e evitar práticas menos transparentes" - isto depois de já em 2012 ter recebido mais de 600(!) queixas relativas a este assunto. Imagino que estejam desde 2012 ainda não tenham tido tempo para fazer fazer algo tão simples como exigir que todos os operadores exibam claramente e visivelmente (nada de asteriscos ou letras pequenas) o real limite de tráfego que os utilizadores poderão utilizar.


O mais caricato disto tudo? É que há estudos que demonstram que a limitação dos ilimitados não faz mesmo qualquer sentido. Mas infelizmente... os operadores apenas estão preocupados em aprisionar clientes nas suas algemas dos contratos fidelizados, perdendo uma excelente oportunidade para mudar de táctica e atitude e passarem a contar realmente com clientes fidelizados.

9 comentários:

  1. Mas pior é quando as operadoras deixam de por o asterisco, a Meo e pior, a Vodafone, colocam os preços do serviço triple play sem asteriscos, mas para o cliente ter os serviços anunciados tem de pagar uma box à parte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, no entanto, continuamos com as voltas à legislação dando razão ao operador, pois o cliente pode efectivamente usufruir do serviço por apenas 24.90€ sem asteriscos(dispensando a Box e recorrendo aos "canais sem TV Box"). No entanto, a opção apenas é válida para acessos em fibra, já no ADSL aí sim, a publicidade pode enganar e era preferível colocar lá um asterisco pois o cliente tem mesmo de recorrer à Box para ter TV...

      Ainda assim, em Novembro passado quando estava numa loja oficial Vodafone em Braga, o funcionário estava a informar um potencial cliente que «de momento estamos a oferecer o aluguer da Box no plano dos 24.90€», apesar de a informação distribuída não o informar, coisa que não sei se fazem ou fizeram com abrangência nacional ou não...

      Para mim seria sim correcto, colocar o preço oficial com a Box(+/- 30€) e depois um outro abaixo com opção sem Box(24.9€), mas já todos sabemos quais as pretensões do markting!!, tivesse-mos nós uma verdadeira Anacom que aqui não estaríamos. :)

      Pior que esse pormenor é a treta das chamadas ilimitadas para redes fixas do estrangeiro que é partilhada em todos eles. Não me interessa nada ligar, de segunda a sexta, para países ao nosso Leste só a partir das 21h!...
      É pena não copiarem o markting "não enganoso" praticado em muitos desses países... :)

      Eliminar
    2. eu coloquei a pouco esse serviço, e como tinha fibra na zona não quis a box, caso contrario la se iam os 24.90, mas ao ver este tópico fui a pagina da vodafone confirmar os ilimitados confirmar uma coisa (http://www.vodafone.pt/main/Particulares/tv-net-voz/IPTV/Tarifarios/tarifarios-detalhados-tv-net-voz.htm), no serviço de telefone la esta os x minutos e as y as z horas, mas na secção de internet tem 50Mb de download que confere com o k tenho, por cabo de rede até tenho 59 e o upload tmbm confere com o 5Mb. No caso do trafego tem la ilimitado, mas não encontrei nenhuma referencia para existir o limite escondido, eu costumo ver isso pois tenho um trafego mensal muito alto. lembro-me que quando meti sapo na altura o ilimitadoera 999Gb e tinha la o asterisco, neste caso nao o encontro, será que nao tem mesmo limite ou este nem sequer está referenciado, se alguem o encontrar que me link sff

      Eliminar
    3. À partida não aplicam nunca qualquer tipo de PUR em planos de Internet por ADSL/Fibra.

      Devo dizer que a net de momento cá em casa é um plano Vodafone ON 4G, e também aí a Vodafone não está a aplicar qualquer PUR ou Traffic Shaping após os 15GB, ainda que neste caso conste a ressalva em nota de rodapé...

      A propósito do ADSL/Fibra, é provável que conste alguma informação mais no discriminativo do contrato assinado.

      Pessoalmente, nunca ouvi ninguém a queixar-se de limitações de tráfego/velocidade após ´x´ consumo em planos ditos Ilimitados, à excepção do serviço WÖW que parece praticar essas restrições, as quais passaram a constar em nota no respectivo site só recentemente...

      Quem me dera fibra/adsl Vodafone por cá, mas infelizmente ainda existem muitas zonas ditas "zonas não C", ou seja, zonas da ditadura em que só o operador da patifaria aqui pode oferecer serviços e fracos!. :(

      Eliminar
  2. Já agora fazem falta resultados práticos da campanha contra as fidelizações obrigatórias de dois anos.
    E fazia falta uma ANACOM capaz. O que será difícil...

    ResponderEliminar
  3. Existem, neste momento, pelo menos, 3 coisas que têm que ser feitas pelos operadores móveis e de televisão:

    - Resolver a questão do "Ilimitado" quando não o é (200GB em fixo e 15GB em móvel).

    - Obrigar os operadores a apresentar preços com e sem fidelização e permitir a subscrição do serviço, mesmo que não exista fidelização.

    - Obrigar os operadores de televisão a (das duas uma):
    1º - Incluir o preço da box na mensalidade que é publicitada
    2º - Se o serviço em causa, obrigar à utilização da box, eliminar o custo da box, como acontece com o ONT nos serviços de Fibra.

    ResponderEliminar
  4. Vale o que vale... mas eu assinei.

    http://liberdadenafidelizacao.pt/

    ResponderEliminar
  5. O problema é em muitos países ainda ser permitido (aqui na Alemanha nao é permitido) às empresas fazerem "truques" (leia-se "golpes de chico-esperto") de Marketing em que metem um dado/valor que na prática nao confere. Neste caso teríamos uma Anacom a cair e multar as empresas de telecom., já que os meninos da Anacom terao os ordenados pagos pelo dinheiro público e como meta defender as empres... os consumidores. Mas já imensa gente sabe que isso nao funciona, ninguém/governo faz nada, e como sempre temos empresas a lucrar com o zé povinho, e se nao gostam que tentem um tribunal do seu próprio (pobre) bolso, porque a Anacom (quem deveria fazer algo) tem mais que fazer (ahhh...tem? Bem....se nao é isso que fazem....o que fazem no dia-a-dia???). Meus meninos, assim é que é bonito: crias e pagas balurdios para uns manfios trabalharem numa empresa com a funcao X, mas no final esses manfios tem é a funcao "nao cries ondas, metes a cabeca na terra, enches o bolso e as coisas hao-de passar". Basta ver o barraco da TDT (PT) trafego mal contado e pago à parte na antiga "netCabo" (grupo PT), marketing falso (grupo PT acima de tudo), etc etc. No final o que acaba por acontecer é certos grupos facturarem milhoes, e o Zé Povinho que pague a factura. Depois saem umas noticias "ahhh grupo X facturou xxxxx milhoes porque é muito bom e trabalham bem" lolol E é verdade, trabalham bem, falta é especificar que trabalho bom foi esse ;-)

    ResponderEliminar

[pub]