2018/04/04

A bateria degradada dos iPhones


A aventura com o abrandamento dos iPhones continua, e finalmente consegui provocar o primeiro crash no meu iPhone SE e por à prova a indicação dada no novo iOS 11.3.

Os visitantes regulares terão acompanhado a louca aventura que foi tentar demonstrar o abrandamento deliberado feito secretamente pela Apple e, depois disso ter ficado comprovado, aguardar pela chegada do iOS 11.3 para tirar a limpo se a necessidade desse abrandamento se justificava - antes de trocar a bateria.

Assim que instalei o iOS 11.3, fiz todos os possíveis para puxar pelo iPhone SE (prestes a fazer 2 anos) de forma a provocar deliberadamente um reset por "insuficência de bateria"; mas sem sucesso. Mesmo correndo os mais exigentes benchmarks e jogos, e tudo o mais que lhe pudesse atirar para cima, tudo decorria com total normalidade e à velocidade esperada (ao contrário dos muitos meses que sofri com o abrandamento - muitas vezes completamente exagerado e injustificado - em todo o tipo de operações banais e sem qualquer exigência de CPU.

No entanto reparei que, em várias capturas de ecrã de pessoas que já tinham levado com um restart espontâneo, o nível de bateria estava abaixo dos 30%. Por norma não deixo que o nível de bateria chegue a esses valores, recarregando sempre que possível. Mas para efeitos de teste, lá fiz o esforço... e não é que, com a bateria nos 10%, ao fazer algo tão simples quanto abrir uma app de notícias... PUF! Lá se foi ele!



Fico parcialmente feliz por comprovar que afinal os problemas da bateria existem mesmo; mas por outro lado questiono seriamente se a agressividade do abrandamento que a Apple implementou (e que fez sofrer milhões de pessoas ao longo do último ano - pensando que seria um problema de hardware do seu iPhone, ou que seria "normal" estar tão lento). Mas mais do que tentar determinar se/como é que o processo de abrandamento deveria ser feito, fica no ar o motivo pelo qual isso estava a ser feito secretamente, sem dar qualquer indicação ao utilizador do que realmente se estava a passar - nem tão pouco o informando que bastaria trocar de bateria para ficar com um iPhone "novo".

Fica também a pergunta sobre se deverá achar "normal", que uma bateria com 2 anos de utilização normal, e que fiz manter 83% da capacidade de carga, seja incapaz de fornecer o nível de energia necessário para o correcto funcionamento do equipamento...

Mas pronto, considero que fica o assunto encerrado, vou finalmente proceder à troca da bateria para rejuvenescer o meu iPhone SE, que assim se aguentará durante mais um par de anos... espero eu... Pelo menos até que a Apple lance um novo iPhone estilo iPhone X, mas com o mesmo tamanho do SE! :)

13 comentários:

  1. O programa de troca de bateria a $29 já está disponível em Portugal?

    ResponderEliminar
  2. Curiosamente, a bateria do meu iPhone também está nos 83%...

    ResponderEliminar
  3. Aqueles que tem as baterias muito degradadas, aproveitem a mudar numa loja oficial autorizada, porque só vai estar a 30€ até ao fim do ano!

    ResponderEliminar
  4. Eu tenho o meu 5S, que parece que vai ser este ano que vai ser descontinuado, tem de ser carregado duas vezes por dia, para se aguentar, eu neste momento não sei se lhe meto uma bateria nova, o telemovel esta todo original desde que o comprei quando saiu, ou se penso em comprar um novo para mais uns 5 anos, que é o tempo de vida que um iphone tem. Estou indeciso, não fosse o android tão fragmentado e com tão pouca assistencia que ate seria capaz de experimentar, mas pelo que cada vez mais leio sobre android, mais gosto do ios...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão da fragmentação é uma coisa mais teórica do que real: a maioria dos Android 4.4.2 aceitam quase todas as Apps que se instalam num Android 8.0 e as diferenças de capacidades são poucas (sem contar as "novidades" que só são possíveis com um hardware novo). Larguei o iOS há muitos anos e já tive Android 2.3 e agora 8, sem nada a queixar-me.

      O que é importante a nível do Android e assistência é comparar bananas com bananas: não deve ler testes de Android de 100€ e extrapolar para Android de 800€. Por norma as grandes marcas atualizam 2 grandes versões (estilo Android 6 -> 8) e mesmo passados 5 anos, esse aparelho com Android 8 vai correr 90-95% das Apps que um com Android 11 (por ex.). A nível de assistência nunca precisei (tive sempre Samsung, nunca foram para arranjar) mas da Samsung, LG, Sony, Huawei não terás problemas na Europa.

      Eliminar
  5. Ai a minha vida a andar para trás! O meu iPhone 7 com um ano e pouco, tem neste momento 86%. Isso quer dizer, que aos 83% o aparelho já está a funcionar a baixa velocidade?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando acontecer vais ver a indicação na secção da bateria

      Eliminar
  6. Ainda não me aconteceu de desligar, mas tal como o Carlos, quando estou com 20% coloco a carregar. E pelos vistos, estas "práticas" de proteção da vida da bateria têm funcionado. Tenho o iPhone 6 desde o lançamento (15 dias depois vá).

    ResponderEliminar
  7. Bom dia o que eu não percebo é a razão de termos 10% de bateria e mesmo com operações simples o equipamento reiniciar , uma bateria com 83% da capacidade ainda está em muito bom estado, digo eu em Grego .

    ResponderEliminar
  8. Epah este problema da bateria dos iphones é parecido aquele que o Nexus 6P tinha... passado 1 ano e tal quando chegava a um certo limite de bateria o tlmv desligava-se... mas neste caso a Huawei disse q era mesmo problemas da board...

    ResponderEliminar

[pub]