2018/05/16

Waymo cria manual para lidar com carros autónomos em caso de acidente


Embora se esteja ainda a muitos anos dos carros autónomos dominarem nas nossas estradas, o seu número tem crescido de forma gradual, e começa a ser necessário aprender a lidar com eles em caso de acidentes.

Tal como tem acontecido com os veículos eléctricos (com condutor), que obrigam a ter cuidados especiais, tanto a nível de combate de potenciais incêndios, como de desactivar as baterias e saber onde se pode cortar o veículo para libertar pessoas encarceradas; há necessidade de saber como lidar com um veículo autónomo... que em caso de acidente poderá adoptar comportamentos inesperados.

A Waymo criou um manual de instruções direccionado para as forças da autoridade e serviços de emergência, sobre como lidar com os seus veículos autónomos em caso de acidente. Lá são descritas várias técnicas recomendadas para abordar estes veículos e garantir que estão "desligados"; tanto através do botão de emergência existente nalguns, como através de uma sequência de comandos que pode ser introduzida através dos comandos do volante. Sempre que possível - se não se tratarem de casos de urgência extrema - a Waymo recomenda que se contacte o seu serviço de operações, onde um operador poderá assistir remotamente nas operações, garantindo que o veículo está desactivado e podendo destrancar as portas se necessário.

O abrir da porta é, sem grandes surpresas, uma das formas mais simples e recomendada para garantir que o veículo não iniciará a marcha de forma inesperada; sendo também recomendado que, a não ser que se esteja seguro de que o veículo está "desactivado", não se ficar parado à sua frente.

Adicionalmente, também são dadas instruções sobre onde cortar o veículo e desligar as baterias para os acidentes mais graves; e recomendações sobre como rebocado os veículos para tentar evitar provocar danos aos sensores (não esquecer que um LIDAR pode facilmente custar mais de 50 mil euros)...

Provavelmente daqui por 10 ou 20 anos já não precisaremos deste tipo de coisa, pois consideraremos os carros autónomos tão banais quanto os carros tradicionais, e já não trarão qualquer surpresa. (Ou então, estaremos num mundo pós-apocalíptico, onde os humanos já nem podem por os pés nas ruas e têm que fugir dos carros que ganharam inteligência própria e os tentam atropelar - sendo que até me admiro por Hollywood ainda não ter feito um filme sobre isso! :)

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]