2019/03/15

Garmin Marq marca entrada nos smartwatches de luxo

Numa altura em que os smartphones de mais de €1000 se vão tornando cada vez mais comuns, a Garmin tenta também a sorte no segmento dos smartwatches de luxo, com a sua nova linha Marq com preços que vão dos 1500 aos 2500 dólares.

O segmento dos relógios já está habituado a ver modelos com valores exorbitantes, mas no caso dos smartwatches as opções têm sido bastante mais limitadas. Isso é algo que agora muda com a chegada dos Garmin Marq, que tentarão fazer frente a nomes como a Tag Heuer e Louis Vuitton (que também já oferecem smartwatches dispendiosos) e, indirectamente, a outras marcas de luxo com a Rolex, Breitling, Omega e outros.


Da esquerda para a direita temos então:
  • Marq Driver ($2,500) - vocacionado para as corridas de automóveis, vem com mais de 250 pistas memorizadas e funcionalidades para medir o tempo de cada volta, calcular velocidade máxima, etc.offers unique features for tracking lap times, top speed, and other racing-related features.
  • Marq Aviator ($1,950) - vocacionado para os pilotos de avião, conta com guias de navegação de emergência para o aeroporto mais próximo, mapas, relatórios meteorológicos, etc.
  • Marq Captain ($1,850) - vocacionado para os velejadores, conta com cronómetro para regatas, assistência à navegação, e até uma função para marcar a posição caso algum tripulante caia à água.
  • Marq Expedition ($1,750) - para os fãs das caminhadas, conta com mapas topográficos, bússola, modo de autonomia expandida (permitindo funcionamento durante semanas, com funcionalidade reduzida), etc.
  • Marq Athlete ($1,500) - destinados os atletas, capaz de fazer o tracking de inúmeras actividades desportivas, como atletismo, ciclismo, etc.

Se por um lado é curioso (e interessante) ver a Garmin apostar nesta gama de luxo, por outro lado parece estar a esquecer-se da grande vantagem dos smartwatches, que é a sua versatilidade em poderem assumir qualquer aspecto e funcionalidade que se deseje. Ao contrário de relógios mecânicos - esses sim, tendo que ser desenhados e construídos para funções específicas - não há qualquer motivo técnico para que um smartwatch que hoje se usa para tracking de uma corrida a pé, não possa amanhã transformar-se num smartwatch ideal para corridas de automóveis, ou para voar, ou para velejar. Parece-me, por isso, que será difícil justificar não só o preço base de 1500 dólares para o modelo mais barato, como o diferencial de 1000 dólares para o Garmin Marq mais caro.

... Ao menos a Tag Heuer ainda oferecia a possibilidade de se fazer upgrade para um relógio mecânico quando o smartwatch ficar obsoleto...

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]