2020/11/10

Huawei vai vender Honor para escapar às restrições dos EUA

A Huawei está a planear vender a Honor, como forma de separar a sua sub-marca e assim ter alternativa que escape às restrições dos EUA.

O gigante tecnológico chinês tem enfrentado grandes dificuldades desde que foi posto na lista negra dos EUA, passando de uma empresa que estava prestes a garantir a primeira posição na venda de smartphones mundiais, para uma que está prestes a ser ultrapassada pela Xiaomi.

Mesmo com a mudança de presidente nos EUA, a Huawei parece não querer ficar à espera e avança com a intenção de venda da sua sub-marca Honor a uma coligação de empresas chinesas. Com isto, a Huawei passaria a ter (teoricamente) um caminho alternativo para poder continuar a disponibilizar smartphones com apps e serviços da Google.

Faltará ver que posição o novo presidente Biden terá sobre este assunto, já que poderá não querer "abrir as portas" à Huawei de imediato para não ser acusado de estar sob influência dos interesses chineses. No entanto, a Huawei já conseguiu recuperar algumas coisas mesmo sob a administração Trump, pelo que não seria descabido que isso pudesse continuar a ser feito - e de momento, o mais crítico será mesmo ter o acesso às apps e serviços da Google, para que os seus smartphones não fiquem prejudicados face ao que todos os demais fabricantes, incluindo os chineses, têm acesso.

Por outro lado, nada impede que com um simples parágrafo, os EUA englobem esta nova empresa Honor "separada" da Huawei, no mesmo regime de restrições... e lá se vai a táctica por água abaixo.

Actualização: a venda vai mesmo para a frente.

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]