2021/03/03

Os problemas do bloqueio de sites por IP

O PS apresentou uma proposta de lei para reforçar o bloqueio de sites, não apenas ao nível do DNS dos operadores, mas também por IP - mas parece ignorar os efeitos secundários indesejados que garantidamente se irão fazer sentir.

Como se não nos bastasse o "memorando de entendimento" que actualmente já permite bloquear sites em Portugal sem passar pelos tribunais nem qualquer método oficial de recurso para os sites que são injustamente (para não dizer ilegalmente) bloqueados, o PS quer fazer a vontade às entidades que controlam esse sistema para expandir o bloqueio também aos endereços IP.

É fácil perceber que o intuito é evitar o fácil contorno dos bloqueios usando-se outros servidores DNS, como os da Google ou Cloudflare; mas o que não é tão fácil é que os senhores que apresentam tal proposta percebam o sarilho em que se estão a meter.

Existem inúmeros casos em que um mesmo endereço IP pode estar associado a centenas de sites e serviços, e que na ânsia de bloquear um, centenas de outros possam ser bloqueados - e por vezes com consequências que podem afectar milhões de pessoas. Não estamos a falar de casos teóricos, mas sim de casos que já aconteceram - como o recente caso em que a NOS bloqueou um IP do sistema de autenticação da Microsoft, afectando todos os seus serviços (e que também denunciou que, apesar de ainda não ter sido aprovada, já temos operadores a fazerem bloqueios por IP).
Prevendo-se que esta triste medida seja aprovada (como é quase garantido), o resultado será fazer com que - tal como a anterior medida levou à educação dos portugueses para a utilização de DNS alternativos - agora fiquem educados quanto às vantagens / necessidade de usarem um serviço de VPN para poderem aceder a uma internet livre de bloqueios e censuras. Mas, talvez ainda mais preocupante, é que a mesma proposta de lei deixa palavreado ambíguo quanto ao bloqueio de sites que considerem estar a "ensinar" a contornar esses bloqueios; pelo que potencialmente até um site que explique como usar uma VPN se arrisque a ser visado para bloqueio. Enfim, olhando para as partes positivas, é da maneira que isto promove a adopção de protocolos anti-censura e que garantam a privacidade, como os sites .onion e a rede Tor.

4 comentários:

  1. Também não devem conhecer bem o conceito de CGNat..

    ResponderEliminar
  2. Estão a mexer em território desconhecido e o pior é que não têm gente competente para os aconselhar...

    ResponderEliminar
  3. Em tempos de democracia, ver o partido do governo a tomar iniciativas deste género é, obviamente, muito preocupante.

    Não haverá uma única voz dentro do próprio partido que sobressaia um pouco que seja para mostrar a evidente irracionalidade dessa iniciativa?

    ResponderEliminar
  4. Muito triste, no entanto não os vejo a falar de bloquear sites de pornografia gratuita, e de publicidade parva. As crianças não deviam ter de ver aquilo. Isso sim era importante. A minha internet (que uso á 30 anos) e a que está a ficar agora... é muito parvo. Tudo balizado.. vamos educar pessoas dummies.

    ResponderEliminar

[pub]