2021/04/04

Smartphones passaram os 100GB de capacidade média em 2020

O espaço de armazenamento nos smartphones tem crescido ao longo dos anos, e em 2020 superou pela primeira ver os 100GB de capacidade média.

Segundo um relatório da Counterpoint Researtch, o estranho ano de 2020 foi o ano em que os smartphones ultrapassaram os 100GB de capacidade - mas com diferenças entre o campo dos iPhones e Android.

Nos iPhones, a capacidade média chegou aos 140.9GB no final de 2020, enquanto que no campo dos Android esse valor ainda se fica nos 95.7GB. No entanto, é uma separação que tem vindo a diminuir ao longo dos anos, com os Android a manterem um crescimento mais acelerado que os iPhones: em 2020 os iPhones cresceram 5.6% enquanto os Android viram a sua capacidade aumentar 20.5%; em parte devido ao facto da Apple ter optado por ficar pelos 512GB máximos nos iPhones, enquanto nos Android já temos modelos a serem disponbilizados com 1TB.
Quanto a mim, parece-me mais relevante olhar para a capacidade mínima oferecida nos modelos base. A Apple continua a oferecer o iPhone 12 com apenas 64GB de base; e ainda temos smartphones Android que são lançados com 32GB ou 64GB. Já era tempo de se erradicar isso, e fazer com que todos os modelos viessem com 128GB pelo menos, e - não menos importante - que isso não fosse usado de forma inflacionada como forma de pressão para fomentar a opção pelos 256GB; como a Apple tão habilmente faz ao manter os seus modelos de 64GB.

Um salto a sites que vendem peças de reparação mostram que a diferença de preço entre um chip de 64GB ou 128GB para um iPhone é de apenas alguns euros, e algumas dezenas para passar dos 128GB para os 256GB. No entanto, isso é algo pela qual a Apple (e muitos outros fabricantes) cobra 50 euros e 120 euros em termos de custo final.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]