2021/05/06

Apple fez promessas e ameaças para manter Netflix a pagar comissão na App Store

O caso Epic vs Apple continua a revelar documentos internos de ambas as empresas, incluindo uns que detalham como a Apple lidou com o processo de retirada dos pagamentos da Netflix para escapar às comissão da App Store.

Com a Netflix a ser um parceiro valioso, a Apple optou por uma ofensiva em várias frentes quando a Netflix, em 2018, pediu para fazer um teste para avaliar o impacto de remover a opção de pagamento via app iOS - que implicava o pagamento da comissão à Apple. Por um lado, a Apple apressou-se a apresentar uma série de benefícios, comprometendo-se a dar mais exposição a app e a garantir que conseguiria mais alguns milhões de downloads, e até tentando aliciar a Netflix a integrar um serviço Apple pago que incluísse o acesso; mas por outro lado, a Apple considerava também ameaçar com o fim de todas as parcerias e deixar de dar qualquer destaque à Netflix, caso avançasse com a remoção do pagamento da app - coisa que a Netflix acabaria por fazer em Dezembro de 2018.

Não se sabe como é que as coisas teriam sido se a Netflix tivesse acedido aos pedidos da Apple, mas o que é certo é que, menos de um ano depois, em Novembro de 2019, a Apple lançava o seu próprio serviço de streaming Apple TV+, um serviço que continua a ter poucos conteúdos e que faz com que poucas pessoas estejam dispostas a pagar por ele, e que tem levado a Apple a prolongar repetidamente a oferta de acesso gratuito para ir mantendo um número de subscritores elevado.

A questão é que, neste caso, a Netflix era um serviço com dimensão suficiente para conseguir fazer frente às ameaças da Apple e continuar a crescer apesar disso. Quantos outros serviços teriam condições para fazer o mesmo?

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]