2012/06/26

Winamp - Uma história com Final Infeliz?


Ainda me recordo como se fosse ontem da primeira vez em que o usei... mas a verdade é que o Winamp conta já com 15 anos de existência, e infelizmente, tornou-se num exemplo de como nem sempre tudo tem final feliz.


Nascido em 1997 (e criado por Justin Frankel e Dmitry Boldyrev), em plena época de ouro do Windows 95, e quando aos Megabytes ainda eram um bem preciosos, que faziam com que a perspectiva de manter os 600MB de música de um CD fosse algo impraticável, o Wimamp rapidamente se tornou no melhor amigo de todos os que se convertiam à magia dos MP3.

Relembre-se que estavamos numa época onde o conceito de "leitor portátil de MP3" era ainda inexistente (por muito difícil que isso hoje possa parecer. :) O primeiro iPod só seria apresentado ao mundo em finais de 2001, e dois anos depois a Apple tinha criado o iTunes para vender música digital.





Estes MP3 permitiram comprimir a música de um CD de forma virtualmente indetectável para tamanhos bastante mais reduzidos, e assim possibilitar que as pessoas começassem a ter o arquivo das suas colecções musicais nos seus computadores. Para quem tivesse um gravador de CD, então esses 600MB seriam suficiente para arquivar várias centenas de músicas! (E para desgraça das editoras e das empresas anti-pirataria, o tamanho reduzido dos MP3 fez também com que começasse a ser praticável considerar a ideia de os partilhar na internet...)

Mas... estamos a falar do Winamp, pelo que... voltemos ao assunto. O Winamp era uma das formas mais simples de ouvir MP3. Um programa ultra-leve, compacto, e simples de utilizar, e que a cada versão ia oferecendo novas funcionalidades.

Graças ao seu conceito com skins e plugins, o Winamp era uma ferramenta altamente versátil. Era possível mudar completamente o seu aspecto, adicionar fantásticas formas de visualização das músicas, adicionar filtros e efeitos especiais, etc. etc.

A minha relação com o Winamp ficou pela versão 2.x. ... a transição para o Winamp3 foi bastante complicada, com o programa ocupar demasiados recursos, e ter vários bugs que angustiaram muitos dos seus utilizadores. E por essa altura (2002-2003) começava também a ser muitas mais numerosas as alternativas para quem quisesse ouvir MP3... para não falar de um suporte melhorado pelos próprios sistemas operativos.


Mas a equipa por trás do Winamp, agora parte da AOL, rapidamente descobriu o que era trabalhar numa corporação gigante, em competição com outras empresas adquiridas na mesma altura. Situações que fizeram com que, numa época em que a Apple ia crescendo à custa da música digital, o Winamp, na altura com 60 milhões de utilizadores por todo o mundo, tenha sido incapaz de criar um verdadeiro negócio em torno desta legião de fãs e utilizadores. (Para por as coisas em perspectiva... a AOL actualmente conta com meros 3.3 milhões de utilizadores!)

Como diz um dos seus criadores, o Winamp tinha tudo para se tornar no "Pandora" dos nosso dias... e... foi o que se viu.

19 comentários:

  1. é o player/biblioteca que uso diariamente. porque apesar de tudo é o que menos me pesa no pc.

    estarei enganado?

    sugerem outro melhor (ou, pelo menos, mais leve)?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando o winamp começou a "engordar", penso que muitas pessoas se voltaram para o foobar como alternativa ultralight.

      Eliminar
    2. Usei até à versão 3 inclusive, pois na altura, as primeiras releases continuavam a ser leves, mas acabava sempre por ir bater na antiga 2.95 (que ainda uso num PC cá de casa).
      Desde que apostaram "forte" na opção de vídeo estragaram tudo. Começou a ser um glutão de recursos para não falar que o skin "classic" não era bem a mesma coisa.

      Nessa altura, como muitos e com o boom da Internet e fazer-se sentir por cá, comecei a ler voltei forças para o foobar2000 (que uso actualmente de forma diária), que tinha uma integração impecável com o Samurize (muitos de vós hão-de saber o que é).

      Agora a notícia, é com alguma tristeza que vejo isso assim, mas não foi por falta de aviso que eles nada fizeram. Não souberam aproveitar o boom da internet e o que de melhor sabiam fazer. Conclusão, pagaram por isso...

      Eliminar
    3. Já há muito tempo que me converti ao Aimp, é o que uso em todos os meus equipamentos.

      http://www.aimp.ru/index.php

      Eliminar
  2. Que nostalgia e só tenho 24 anos!!

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o metRo e só tenho 25. :P

    ResponderEliminar
  4. É a aplicação que mais faz falta no mac, o winamp com o seu look classic.
    Desde que engordou (tentando a meu ver igualar-se ao também clássico Musimatch Jukebox) perdeu qualidades.

    ResponderEliminar
  5. Eu ainda uso o winamp.
    Atencao ue durante a instalacao podes escolher o tipo de skin / player.
    Escolhe o classico e a experiencia e similar ao que tinhas nos anos 90 (e nao e assim tao pesado quanto isso)!

    ResponderEliminar
  6. "Winamp, it really whips the llama's ass" :)
    Ainda uso v2.80

    ResponderEliminar
  7. Desde os primórdios que usava o Winamp.
    Era uma loucura na altura aquilo era uma coisa do "outro" mundo.. cheguei até a fazer skins para o Winamp.
    Mas como o Carlos disse desde a Saída do winamp3 que muitos utilizadores deixaram de gostar tanto do Winamp e começaram a procurar alternativas, eu fui um deles.
    Actualmente uso o AIMp#, bastante parecido com o Winamp3.
    http://www.aimp.ru/index.php?do=lang&lng=en

    ResponderEliminar
  8. Como comecei a usar linux, nunca mais me lembrei dele.

    ResponderEliminar
  9. E para as massas então...o WinAmp deixou de ser importante. Até porque hoje em dia os recursos de um PC são outros e até o Windows serve razoavelmente bem com o seu Windows Media Player... :P

    Dispensam-se ataques informáticos :) Refiro-me ao povo em geral e não há malta informática...

    ResponderEliminar
  10. ainda uso winamp.

    uso a versão 5.56, mas concordo que é grande o consumo de cpu

    ResponderEliminar
  11. Continuo a usar e continua a ser o que mais gosto, a questão de pesar no sistema pôs-se no inicio, não acredito que seja uma questão agora, tal como mudar de sistema operativo, é a evolução. O facto é que as alternativas nunca polarizaram as pessoas como o winamp conseguiu polarizar.

    ResponderEliminar
  12. Eu uso o winamp....
    Logo durante a instalação retiro o que não interessa, como o laucher que fica no "tray" e assim que arranca passa pra o look mais compacto, não o classico, só com a lista de musiscas por baixo.
    É super leve e uso-o em todos os meus computadores. Alias, não sei se há estatisticas, mas acho que continua a ser dos "players" mais usados a nivel mundial.

    ResponderEliminar
  13. Muito antes do iPod, em 1998, houve o Diamond Rio. Creio que foi mesmo o primeiro leitor de MP3 portátil, tendo sido até alvo de um processo em tribunal por parte da RIAA, aquela associação sempre disposta a receber de braços abertos todas as inovações tecnológicas. Felizmente a RIAA perdeu, abrindo caminho à Creative e à Apple.
    http://en.wikipedia.org/wiki/Rio_PMP300

    Acho que não chegou a ser comercializado em Portugal, apesar de outros produtos da marca como placas gráficas se encontrarem por cá. Eu tive uma Voodoo2 da Diamond.

    ResponderEliminar
  14. Eu uso o winamp só mesmo para sincronizar as musicas com o telemovel

    ResponderEliminar

[pub]