2019/02/28

TCL revela dobradiça DragonHinge para ecrãs dobráveis


Estamos a entrar na era dos dispositivos com ecrãs dobráveis, e a TCL considera ter criado um dos mecanismos de dobragem mais robustos, o DragonHinge.

Depois de anos a apostar em dispositivos sem partes móveis significativas, nos últimos tempos temos assistido a um curioso regresso de equipamentos que contam com mecanismos móveis, quer seja a nível de sistemas popup para fazer deslizar o ecrã ou câmaras (por conta dos ecrãs "full-screen" sem espaço para as câmaras frontais) ou, agora, devido aos ecrãs dobráveis.


Embora dispositivos dobráveis existam há muito - desde os velhos smartphones de dobrar aos portáteis - o facto de agora se aplicar o conceito aos ecrãs vem acompanhado de todo um novo conjunto de desafios. Não só o sistema tem que ser suficientemente robusto para aguentar dezenas ou centenas de operações diariamente, ao longo de anos; como também tem que garantir que o ecrã permanece completamente esticado e continua a oferecer uma superfície "plana" que não interfira com o reconhecimento dos toques do utilizador.

É isso que a TCL diz que a sua DragonHinge possibilita, embora nesta fase ainda não tenha deixado ninguém "pôr a mão" nos protótipos que tinha expostos no MWC. Fica também a dúvida sobre se o mercado estará receptivo a um sistema de dobragem que, quando dobrado, não fica completamente plano e mantém um curvatura que faz temer que, caso alguém se sente acidentalmente em cima, se parta imediatamente.


Teremos que esperar para ver os primeiros dispositivos com esta DragonHinge a chegar ao mercado, algo que a TCL diz que apenas irá acontecer lá para 2020. Temo que, por essa altura, este tipo de dobradiça se tenha tornado ainda menos apetecível do que é actualmente, face a dispositivos como o Mate X, que quando dobrados se mantêm completamente planos.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]