2019/11/15

Operadores nacionais dizem que temos telecomunicações baratas


Na categoria dos "estudos encomendados para interpretar os números como dá jeito", temos uma ridícula tentativa dos operadores de telecomunicações nacionais convencerem os portugueses de que estão muito bem servidos, com preço das telecomunicações 34% inferiores à media europeia.

O estudo encomendado pela Apritel (Associação que engloba os operadores nacionais) conclui que o preço dos pacotes 3P em Portugal são 34% inferiores à media europeia, enquanto que os pacotes 4P são 20% mais baratos que a média.




Para chegar a esta conclusão, a comparação foi feita tendo em conta o poder de compra em cada país, além de outros factores, para poder fazer aquilo que diz ser uma comparação "justa". Mas não demorou a surgir quem relembrasse que estas comparações podem ser feitas de forma justa, olhando directamente para o preço em euros, mesmo sem ter em conta a paridade do poder de compra.




Aproveitando o facto de (ainda) termos uma moeda única, as comparações podem ser feitas directamente e sem subterfúgios, e não é difícil encontrar nos ditos países propostas a preços muito mais baixos que os praticados em Portugal. Com a diferença de que por lá não tentam forçar os clientes a aderirem forçosamente a pacotes 3P ou 4P para terem "melhores preços" - quando o cliente na prática até só queria internet fixa e internet móvel, e quando muito até só vai ver 1 ou 2 canais das "centenas" englobadas no pacote só para fazer parecer que tem um grande valor.

E se as diferenças já saltam à vista em comparação directa, imaginem o descalabro que é ao fazer a comparação tendo em conta o poder de compra ou salário mínimo!

Em Itália podemos ter 50GB no telemóvel, com chamadas e SMS ilimitadas,  por €7.99 ; em França, fica por €9.99. Por cá... continuamos a ter operadores que insistem no zero-rating como se fizessem um especial favor aos portugueses, ou que passaram a cobrar mensalidade nos tarifários sem mensalidade.

Cara Apritel, não precisamos de estudos encomendados para ver o que é fácil de ver; precisamos é que vejam os bons exemplos do que há lá fora, e façam o mesmo em Portugal. Podem começar por tarifários com 50GB de dados e chamadas e SMS ilimitados por €9.99 por mês. Vão ver que será um sucesso e os clientes agradecem.

11 comentários:

  1. e eu a pensar que ja tinha lido a coisa mais estupida hoje " o filosofo frances a dizer para os homens violarem as suas mulheres" e de repente do nada aparece este noticia. hahahaha

    ResponderEliminar
  2. Claro que a comparação para ser justa deve considerar os preços em Paridade de Poder de Compra. Mas o que se vê aí, e que me parece ser enganador, são comparações entre produtos diferentes. No caso de serviços de voz apenas, essas propostas são light, comparativas às soluções wtf ou yorn, mas sem restrição de idade (terão outras). O facto de quererem engolbar tudo numa solução 3p ou 4p até pode fazer sentido, e a verdade é que sim, França tem de facto soluções muito competitivas mas com restrições de cobertura grandes, aqueles serviços das marcas de maior alcance à maioria dos utilizadores, são mais caros nos outros países.
    Dito isto, nós temos de facto altos custos nestes serviços, que são ainda maiores se considerarmos PPC para a zona-Euro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estando eu em França nesta altura, sim o operador da imagem tem uma péssima cobertura, é semelhante à NOS em Portugal (talvez um pouco pior), mas os outros tem cobertura semelhante e preços iguais, pago 10€ (por um ano, mas posso sair a qualquer momento sem pagar nada) por 50G e chamadas sms/ilimitadas (incluindo fixos de portugal) e quando estou em roaming tenho os 50G na mesma.

      Pela net (+ tlf) pago 10€ também, logo com 20 fico servido com tudo o que quero e de bem melhor qualidade que tinha em Portugal.

      Mas não foi sempre assim à 10 anos (quando também estive por França) os preços eram bem piores que em Portugal, mas como o mercado não estava fechado como está aí começou a haver concorrência.

      Eliminar
    2. mesmo que o mercado fosse aberto nao havia baixa de preços pois em portugal a concorrência nao funciona

      Eliminar
  3. Ainda bem que a Apritel não tem nada a ver com os humoristas, já que dava mau nome à classe com estas piadas parvas!

    ResponderEliminar
  4. Hoje é só notícias para rir Apritel acredita se quiseres os portugueses não são estúpidos e felizmente temos muita informação, este sector como muitos outros da sociedade portuguesa estão cartelizados, não sei como é que os reguladores não vêm ou se vêm porquê que não fazem nada, é também uma pouca vergonha a fidelização que nos é imposta, caso não a queiramos somos muito penalizados, este sector é uma autêntica vergonha.

    ResponderEliminar
  5. Duas questões:
    1 - Alguém que me explique estas contas. 38€ em Portugal e 70€ no Reino Unido? Arranjam-se lá pacotes por mais 5-10€ do que aqui e se tivermos em conta que o poder de compra lá e mt superior ao nosso, não é suposto baixar ainda mais o valor deles e subir o nosso ao ponto de inverter? Não percebo

    2- Os comentários parecem ir todos para uma análise dos tarifários móveis que temos que são realmente uma tristeza explorativa. Mas o artigo fala de 3p e na minha opinião estamos bem servidos com 200/100 de net + 200 canais por 33€.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim 3p ate estamos bem pois 35 euros por net tv telefone esta bom, o mas isso é dar com uma mao e tirar com a outra, manipulacao de estudos para mostrar que um servico é barato para esconder o resto. fidelizacoes, pacotes com mais porcaria que outra coisa etc.

      Eliminar
  6. No uk tenho dados moveis ilimitados por 19£ e sem contrato..

    ResponderEliminar
  7. O maior problema em Portugal é o preço dos dados móveis, os pacotes oferecidos são ridículos. Só o pessoal que consegue regatear com o departamento de retenção é que tem acesso a preços razoáveis.

    ResponderEliminar

[pub]