2020/01/28

Petição quer Windows 7 em open-source


O fim do suporte oficial do Windows 7 está a ser aproveitado pela FSF, que lança o desafio (e uma petição) para que a MS o disponibilize como open-source.

A Free Software Foundation (FSF) quer que a Microsoft demonstre que a sua recente aproximação ao open-source não é apenas uma táctica de marketing mas sim um sinal de respeito para com os developers e utilizadores, dizendo que não haverá melhor forma de o fazer do que disponibilizando o seu Windows 7 como open-source, agora que está oficialmente obsoleto.

Para isso avança com uma petição que, apropriadamente, está a tentar obter um número mínimo de 7777 apoiantes; com a esperança que isso permita iniciar conversações com a MS e eventualmente minimizar parte das opções polémicas que têm sido tomadas pela Microsoft ao longo dos anos, a nível de recolha de dados sobre os utilizadores e computadores com Windows, quase sempre sem que o utilizador tenha qualquer opção quanto a isso.

Considerando que a MS ainda vai disponibilizar três anos de suporte prolongado pago para o Windows 7, e que ainda é utilizado por milhões de pessoas em todo o mundo, penso que as probabilidade da MS aceder a este pedido - nesta altura - são praticamente nulas. Mas, daqui por mais 4 ou 5 anos, quando já tiver terminado o período de suporte pago e o número de utilizadores Windows 7 for bastante inferior (ou quando for descoberto uma nova vulnerabilidade crítica), imagino que possa vir a acontecer.

5 comentários:

  1. Uma Evil a deixar de o ser?
    Ficção...

    ResponderEliminar
  2. É como peticionar junto dos maometanos para que passem a usar as suas longas barbas tingidas de cor de rosa...

    ResponderEliminar
  3. Também não acredito até porque há muito código no Windows 10 que vem do 7 e de versões anteriores. Basta ver quando são lançados fixes de segurança para aplicar às últimas versões do windows. Às vezes até inclui o windows XP que está fora de suporte à anos.

    ResponderEliminar
  4. O Windows 10 = Windows 7 com icons diferentes.
    Os exploits iriam aparecer exponencialmente.

    ResponderEliminar

[pub]