2020/06/09

Operadoras irritadas por Anacom revelar que telecomunicações são das mais caras na Europa


A Anacom fez mais um estudo que revela que as telecomunicações em Portugal são das mais caras na Europa, mas as operadoras nacionais tentam fechar os olhos à realidade e dizem que a comparação não é justa.

O regulador nacional mostrou sinais de vida e voltou a relembrar o facto de os portugueses serem bastante penalizados nos preços das telecomunicações face à maioria dos países europeus. Sem grandes surpresas, as operadoras nacionais depressa se insurgiram contra estas conclusões, dizendo que são comparações que induzem os consumidores em erro - algo que não será novidade quando nos chega de um grupo de empresas que nos tenta convencer que temos telecomunicações "baratas".

Uma vez que não podem argumentar pela questão dos preços (ainda recentemente falamos de mais um tarifário em França que oferece 100GB de dados móveis por €16.99 e que nos relembra que parecemos estar na pré-história das comunicações, com tarifários muito mais limitados, dispendiosos, e que nos tentam impingir o zero rating como se fosse uma boa coisa), a táctica das operadoras consiste em tentar convencer os portugueses que estão muito bem servidos por terem pacotes com muitos serviços incluídos (os 3P / 4P etc.)

Ora... não sei se as nossas operadores têm noção de que essa desculpa não funciona, já que se sabe perfeitamente que são elas próprias que têm empurrado os consumidores para esses planos englobados por falta de alternativas viáveis nos planos em separado. Alguém que só queira ter acesso à internet muitas vezes descobre que o preço acaba por ser tão dispendioso quanto ter internet + TV, mesmo se as centenas de canais de TV que são disponibilizados nunca serão utilizados, assim como o serviço de telefone fixo e outras "ofertas".

Caras operadoras de telecomunicações nacionais, até nos disponibilizarem tarifários como o que foi referido acima dos 100GB móveis por €16.99 (e ter em conta a diferença de rendimentos entre França e Portugal), acabarem com o zero rating, e oferecerem serviços desagregados a preços verdadeiramente competitivos, abstenham-se de insultar os clientes ao dizer-lhes que têm telecomunicações baratas.

25 comentários:

  1. É o juntar de vários serviços no mesmo pacote e é também a quantidade de minutos de conversação que nunca ninguém usa na totalidade mas que são utilizados para justificar o preço. Enquanto isso o que as pessoas realmente queriam era net móvel a um preço razoável. É muito triste mas em em pleno século XXI continuo sem ter um tarifário com dados móveis ainda que por vezes me cause transtorno. Simplesmente recuso-me a ser roubado. Até me admiro eles ainda não terem acabado com tarifários pré-pagos sem carregamentos obrigatórios e obrigarem toda a gente a passar para pacotes pós-pagos só para maximizar a chulice, mas não deve faltar muito, suspeito até que vão aproveitar a mudança para o eSIM para fazer isso mesmo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os tarifários que existem é só para dar resposta às necessidades das operadoras! Tenho 24 mil minutos...alguém quer??? :)

      Eliminar
    2. Os tarifários pré pagos praticamente não existem. E os que existem sem carregamento obrigatório mensal ou semanal. Têm uma taxa de manutenção superior a €1 mês. Com isso tá tudo dito. Basta passar a fronteira e no mercado espanhol de tarifários recarregáveis existe concorrência e bons preços com bons plafonds mensais de internet.

      Eliminar
    3. Que eu tenha conhecimento o único tarifário verdadeiramente livre que resta é a UZO, não cobra taxa de manutenção, apenas obriga a que se faça uma chamada paga a cada 120 dias para manter o cartão activo. É o que tenho de momento. Permite evitar o custo dos carregamentos obrigatórios e das taxas mas a nível da net é igual aos outros, demasiado caro (8 euros por 1 GB)

      Eliminar
    4. Não é o único, há vários até (Vodafone Direto, Livres da NOS e um ou outro MVNO).
      São tarifários obsoletos, mas permitem manter um determinado número ativo.
      No meu caso, tenho um Vodafone Direto "encostado" na segunda ranhura do Smartphone. Último carregamento/saldo disponível data de Outubro de 2016, altura em que passei a optar por cartões internacionais e que por acaso até é francês :)

      ps: na altura da minha adesão, o Vodafone Direto não exigia qualquer chamada ou carregamento (atualmente acho não se verifica).

      Continua a ser uma boa opção para quem não quer perder o número de sempre e, em simultâneo, utilizar um outro qualquer cartão internacional :)

      Eliminar
    5. Como sempre estamos, num País de ladrões

      Eliminar
  2. Vamos ver o que o Musk nos reserva com a sua rede de satélites.

    ResponderEliminar
  3. Somos um país onde se ganha bem! Porque não pagar muito? TÊM DÚVIDAS, INTERROGEM-SE COM OS VENCIMENTOS DA CLASSE POLÍTICA, VALORES ESSES QUE ESPELHAM NATURALMENTE OS NOSSOS.

    ResponderEliminar
  4. Verdade, somos os que pagamos mais em relação a outros países da Europa!...

    Enfim...

    ResponderEliminar
  5. Como poderá uma economia desenvolver quando meia dúzia de serviços sugam grande parte do vencimento dos portugueses? Gostava de um dia fazer essa pergunta aos políticos.

    ResponderEliminar
  6. Verdade, na Vodafone, aquilo que pagamos 39.90 aqui custa 24, 90 lá. É a fidelização só é de 1 ano

    ResponderEliminar
  7. Preços concertados entre as operadoras é o que está a dar!! E sempre a subir de ano para ano!! INACREDITÁVEL!!

    ResponderEliminar
  8. Uma verdadeira MÁFIA como tudo nessa sociedade Illuminati 😠😠💩💩

    ResponderEliminar
  9. No UK, a Three oferece min/SMS/dados ilimitados por 22 GBP/mês (11 GBP/mês durante os primeiros 6 meses) durante 24 meses de contrato (incluído 5 GBP de desconto por mês se pago por débito directo).

    O que nos oferecem as operadoras portuguesas por 25 por mês? Nem de perto isso. A Vodafone cobra 45 EUR/mês pelo mesmo pacote.. é quase o dobro!

    ResponderEliminar
  10. Na linguagem portuguesa diz-se,cambada de chulos, até na Alemanha é mais barato,e infelizmente cá no reino da treta ninguém defende o consumidor

    ResponderEliminar
  11. Peço desculpa, mas esse pacote de 100GB por 17€. Qual e a operadora francesa com isso? E preciso ser cidadão francês? Posso aderir em Portugal e eles mandam o cartão?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obviamente que não. São tarifários "reservados" a um determinado mercado, logo, comercializados para esse mesmo mercado o que não invalida, poder trazer um de lá e usá-lo num outro país (obedecendo aos termos de condições de serviços). No caso do tarifário citado (Sosh da Orange), é necessário ter-se um IBAN francês associado ao débito das mensalidades...

      Eliminar
  12. 100GB móveis por €16.99 é caro. o meu cartão de dados na Polónia oferece tráfego ilimitado, altas velocidades e custa 45 PLN, hoje pouco mais de 10 euros por mês. Na verdade, quando estou em portugal, uso o meu cartão de dados em roaming e sai-me mais barato do que comprar um cartão nacional.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. 16,99€ talvez seja caro para o nível de vida na Polónia, no caso retratado, é tudo menos caro, principalmente comparando com Portugal (tal como objetivava o artigo). Gostava-mos de saber que tarifário é esse ilimitado a alta velocidade por 10€

      Eliminar
  13. Ca em Portugal as operadoras ganham milhões e cada vez os serviços são mais fracos e tanto a ANACOM como a deco e o ministério da tutela deviam fiscalizar está concertação de tarifários assim como terem coragem de obrigar as operadoras a terem uma linha telefónica gratuita para os clientes poderem comunicar avarias técnicas falhas de serviço ,reclamaçoes etc. Porque quando ficamos sem serviços pagamos uma fortuna pelas chamadas porque quando somos nós a pagar ficamos horas pendurados no telefone ,por isso aqui fica o desafio !

    ResponderEliminar
  14. Aproveitando a deixa, deixo aqui uma campanha de serviço 3P (novamente em território francês) que comprova o dinamismo de outros mercados em relação ao de Portugal.

    https://www.phonandroid.com/free-vente-privee-freebox-revolution-tv-by-canal.html

    A Free (segunda maior operadora no fixo em França) lançou -há já alguns dias no sítio "vendas privadas"- uma campanha tentadora que reduz o preço (de uma das suas ofertas) de 39,99€ para 9,99! durante 12 meses :)

    A vantagem?. Fidelização de apenas um ano (igual ao tempo do preço promocional. Serviços extra acrescidos no plano. Reembolso dos encargos de instalação + ativação (50€+50€). Débitos de 1GB Download e 600Mb Upload, serviço telefónico fixo totalmente ilimitado para Europa, possibilidade de acesso ao mesmo preço sob ADSL/VDSL caso ainda não exista acesso a uma ligação de fibra, BOX Delta ultra Avançada em opção (não esquecer a tradição da Free neste quesito, inventores da 1ª BOX 3P no mundo), etc, etc.

    Será que resultava em Portugal (mesmo sendo uma venda reservada ao canal online)?. Pois

    ResponderEliminar

[pub]