2020/07/09

Notícias do dia

Microsoft Teams ganha modo "together" para videoconferências mais naturais em auditório virtual; o Xiaomi Mi TV Stick aparece na loja portuguesa; Spotify facilita criação de playlists para treinar; Intel promete Thunderbolt 4 com USB 4 para o final do ano; Qualcomm revela Snapdragon 865+ acelerado; e Apple expande rede de reparadores independentes à Europa - mas com pouca independência.

Antes de passarmos às notícias do dia, participa no passatempo gadget da semana que desta vez te dá a possibilidade de ganhares um carregador BlitzWolf BW-S5.

Google Maps começa a mostrar semáforos



A Google está a começar a mostrar a localização de semáforos no Google Maps para alguns utilizadores nos EUA. É algo que faz imaginar que, no futuro, possa passar a incluir uma opção para rotas que minimizem a passagem por cruzamentos com semáforos (ideal para todos aqueles que acreditem ter o "azar" de apanhar sempre o sinal vermelho), ou dar acesso a indicações de navegação por voz mais naturais do estilo "vire nos próximos semáforos à direita".

Considerando que a Google tem acesso a mapas detalhados por conta dos seus veículos autónomos, este é o tipo de coisa que nem se compreende porque motivo está a demorar tanto tempo para ser feita. Pelo menos nas áreas em que os seus veículos circulam isso é algo que já estará completamente identificado - ou, em alternativa, podiam sempre permitir que a própria comunidade os adicionasse manualmente no Waze e nem tinham trabalho com isso.


Optimizações de energia nos Android criam o caos nas notificações



Os resultados do benchmark DontKillMyApp, que se destina a ver até que ponto os smartphones estão a impedir o funcionamento normal de apps em background, revelam cenários preocupantes. Muitos fabricantes, com o intuito de prolongar a autonomia dos seus smartphones, recorre a afinações agressivas para impedir a execução de processos em background.

Isso faz com que, em muitos casos, os utilizadores deixem de poder contar com funcionalidades esperadas, e também pode original o fenómeno habitual nalgumas marcas de não receberem notificações a tempo e horas, apenas surgindo minutos ou horas mais tarde. Ou, em alternativa, tenham que andar a ajustar manualmente as opções para dizer que esta ou aquela app deverão permanecer a salvo do sistema de optimização da bateria.


Próximo Google Home aparece com formato estranho



O Google Home conquistou o público com a sua forma incomum mas simpática, e parece que a Google vai reforçar a aposta nas formas incomuns na próxima geração da sua coluna inteligente de acesso ao Google Assistant.

Surgiram finalmente imagens daquele que será o sucessor do Google Home, e nem sequer se consegue compreender muito bem qual será o formato em que deverá ser utilizado: se deitado, se na vertical. Também parece não ter sido dado especial atenção à forma como será ligado à ficha de alimentação, limitando-se a ter um furo para a ficha que nem sequer permitirá dissimular o cabo na base... Enfim, parece-me que se poderia esperar um melhor trabalho para um produto que teve anos para ser melhorado.


Novidades do iOS 14 em vídeo


Enquanto não chega a versão beta pública do iOS 14, resta-nos ir espreitando as melhorias e novidades que esta versão já vai disponibilizando para os developers.




Android 11 vai deixar não ligar automaticamente a redes WiFi específicas



Foi preciso esperar mais de uma década, mas finalmente com o Android 11 os utilizadores poderão dizer aos seus smartphones e tablets que não se querem ligar automaticamente a uma rede WiFi que desejem manter guardada nos seus equipamentos.

Embora seja uma opção que já tem sido implementado por vários fabricantes, passará a ser uma opção de origem no Android 11; e servirá para evitar, por exemplo, que o smartphone se tente ligar automaticamente à rede WiFi do vizinho, que utilizam como "backup", quando estão em casa e preferem utilizar a vossa própria rede - ou caso estejam no emprego e queiram limitar o uso da rede WiFi apenas para tarefas relacionadas.


Quibi disputa estatísticas de adesão ruinosas



O serviço de streaming Quibi continua a dar que falar, mas não pelos melhores motivos. Com o período gratuito experimental de 90 dias a ter terminado, as empresas de sondagens revelaram que, dos 910 mil utilizadores que aderiram ao serviço nos primeiros dias, apenas 72 mil mantiveram a sua adesão.

Números verdadeiramente desastrosos e ruinosos para um serviço com investimento "bilionário", que no entanto estão a ser disputados pelo próprio serviço, que - sem se dignar a avançar com números concretos, refere apenas que as estimativas das adesões estão "erradas por uma ordem de grandeza" - implicitamente indicado que teriam tido, pelo menos, 720 mil subscritores pagos. Pois bem... o tempo irá dizer quem é que terá razão, mas por agora o Quibi parece ser apenas uma forma fácil de ter feito evaporar mais de dois mil milhões de dólares.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]