2020/12/21

EFF diz que campanha do Facebook contra a Apple é ridícula

A campanha mediática do Facebook contra a Apple não está a enganar ninguém, e até a EFF vem denunciar que se trata de uma tentativa ridícula de manipular a opinião pública.

O Facebook tem estado em pânico desde que a Apple revelou que iria adicionar um novo pedido de autorização para as apps que desejem seguir os utilizadores, e recentemente lançou uma campanha, primeiro nos jornais a "defender as pequenas empresas" e a tentar semear o medo com o "fim dos serviços gratuitos" na internet, e mais recentemente fazendo essas mesmas campanhas surgirem em notificações nas suas apps.

Ora, a Apple tem muitas coisas que se podem criticar a nível de não darem opções aos utilizadores (como não se poder instalar apps a não ser pela sua App Store; ou das apps não poderem oferecer métodos de pagamento que não paguem comissão), mas neste caso, trata-se de uma opção que será bem vinda e que coloca as opções de privacidade nas mãos dos utilizadores - e que, como a própria EFF (Electronic Frontier Foundation) refere, faz com que esta campanha de vitimização do Facebook seja completamente ridícula.

Diz o Facebook que esta opção irá significar o apocalipse entre os pequenos negócios e por em risco os serviços gratuitos. Ameças que não poderiam estar mais longe da realidade, com vários estudos apontados pela EFF que mostram que a maioria do dinheiro gerado pela publicidade não chega aos developers, mas fica pela mão dos intermediários como o Facebook, Google, e outras empresas. Quanto à "defesa dos pequenas empresas", o Facebook tem sido o responsável por uma verdadeira extorsão para que essas pequenas empresas e negócias possam chegar aos seus próprios seguidores. Páginas com milhares e milhares de seguidores apenas chegam a uma fracção deles, com o Facebook a impingir constantemente um "pague X para chegar a mais pessoas".

Não sei que tipo de resultado espera o Facebook desta ridícula campanha em que se tenta fazer passar por vítima... e talvez devesse olhar para aquilo que a Google tem feito, que é ficar caladinha e adaptar-se da melhor forma, sem fazer figuras tristes.

4 comentários:

  1. 1. A Apple vai continuar a ter acesso a essas dados, e irá usá-los para vender publicidade, nomeadamente https://searchads.apple.com

    2. Os pequenos negócios usam, de facto, o targeting muito preciso do Facebook para venderem.

    ResponderEliminar
  2. A surpresa com a posição da EFF, enfim ...
    Agora, nas receitas que resultam da publicidade em apps (é disso que trata nas alteração da Apple), diz-se que:
    "(...) vários estudos apontados pela EFF que mostram que a maioria do dinheiro gerado pela publicidade não chega (1) aos developers, mas (2) fica pela mão dos intermediários como o Facebook, Google, e outras empresas"
    Então e o dinheiro gerado em (3) nas empresas que têm produtos e serviços para vender e que dependem largamente da publicidade dirigida aos potenciais interessados? Não se fala?

    "Ah, mas a Facebook, sabem como ela é ...". No caso só está a apontar a estupidez da Apple que, antes, tal como o Android - tinha a opção de autorizar/não autorizar o seguimento publicitário, e passa a ser isso e mais uma nova autorização, confusa, por app.

    E quer a tal EFF que a Google implemente o mesmo no Android. A Google tem formas de fazer o seguimento em múltiplas plataformas. No computador, usei um endereço de gmail para comentar, fui a um site de vendas on-line de produtos chineses, a seguir fui ao site de "O Citador" e no meio das frases inspiradas dos grandes pensadores da humanidade - lá estavam anúncios de produtos da Xiaomi:)
    "Ó pá, sai da conta da Google que já não te seguem!"
    Costumo fazer isso, de facto, ... mas entre aparecer-me anúncios da Xiaomi ou outros quaisquer, prefiro publicidade dirigida. E às vezes aparece "baixou de preço", vou ver, baixou mesmo e compro. Ganho eu, que precisava do produto, a um preço mais baixo, e o vendedor. Até é possível que a Google faça o mesmo no Android que a Apple - porque tem formas de seguimento em múltiplas plataformas.

    O que diz a EFF e outros pouco me interessa. A conversa é da privacidade em geral, nem se dão ao trabalho de distinguir os níveis. Aparece publicidade dirigida - "num pode ... tiro neles!" ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "O que diz a EFF e outros pouco me interessa. "
      ... Ao menos que estejas consciente que haverá quem tenha a mesma atitude perante o que escreves...

      Eliminar
    2. Por certo. Nem deve haver uma questão de privacidade mais importantes do que dar uma segunda autorização a uma app suportada por publicidade para permitir publicidade dirigida.
      A Apple descobriu o supra-sumo da proteção da privacidade! Venham de lá mais posts a mostrar que a Apple está na linha da frente! E a exigir que a Google faça o mesmo no Android como reclama a EFF.
      P.S. Se o sistema é assim tão bom, por que é que a Apple o adiou durante meses, dado o coro de protestos? E por que é que a Google não dá mostras de o seguir no Android?

      Eliminar

[pub]