2021/11/17

Apple com reparações self-service no próximo ano

Numa medida inesperada, a Apple diz que vai disponibilizar manuais e acesso a componentes, para que os utilizadores possam fazer eles próprios as reparações de iPhones e Macs em suas casas.

A Apple parece querer passar do "8" para o "80" no que diz respeito às reparações. Depois de ter passados os últimos anos a dificultar as reparações cada vez mais, recentemente até bloqueando o Face ID no caso de troca de ecrã nos iPhone 13 (coisa em que depois recuou), agora diz que se vai tornar na melhor amiga de quem quiser fazer as reparações, com um programa self-service que dará acessos a manuais e peças para que qualquer pessoa as possa fazer.

A medida será muito bem vinda, mas não se pode evitar pensar que estará a ser lançada como forma de "complicar" a vida aos reparadores não oficiais, de certa forma insinuando que os utilizadores finais poderão tratar eles próprios do assunto.

Só que na verdade isso já acontece. Qualquer pessoa tem acesso a informação de reparação, em sites com o iFixit, e pode comprar componentes numa série de sítios (não oficiais, é certo) para tratarem de coisas como troca de baterias ou de ecrãs - as operações mais comuns. Ainda assim, grande parte das pessoas prefere não se preocupar com as chatices de abrir smartphones que são cada vez menos fáceis de abrir, que envolvem aplicar selantes ou cola, etc. etc. Pelo que o trabalho das lojas de reparação continuará assegurado. Mas, ficamos a aguardar pelo programa self-service, e esperamos que possa inspirar outros fabricantes a fazerem o mesmo.

4 comentários:

  1. Recomendo procurarem no Youtube o video "Apple makes parts and manuals available to all" do "Louis Rossmann" /watch?v=2jCtVDCiY_8

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Do Louis Rossmann vale sempre a pena ver

      Eliminar
  2. Já fui ver várias vezes se estou perto do dia 1 de Abril, mas como a noticia começou a aparecer em mais sites, já comecei a começar a pensar que talvez deva acreditar... mas... espero que as outras marcas copiem e façam ainda melhor, ou seja vejam o que o Fairphone está a fazer e consigam igualar a facilidade com que se troca uma bateria ou uma porta USB-C, a camara, etc. Assim talvez ganhe confiança para gastar um balúrdio num equipamento novo que possa ganhar uma nova vida ao fim de 2 anos de uso gastando mais 2% do seu custo inicial numa bateria nova quando for necessário.

    ResponderEliminar
  3. Vamos a ver. até ver é para fazer cabecalhos de noticias. que cairam todos que nem patinhos.

    porque o outro programa que eles tiveram foi uma palhacada. o louis rossmann ja publicou sobre isto.

    ResponderEliminar

[pub]