2018/11/17

SpaceX autorizada a colocar 12 mil satélites Starlink em órbita


A FCC autorizou o lançamento de mais 7500 satélites da constelação Starlink da SpaceX, elevando o total para perto dos 12 mil que estavam planeados.

A empresa de Elon Musk quer ser pioneira na criação de uma rede de internet via satélite, e agora fica com o caminho desbloqueado para o poder concretizar. No início do ano a SpaceX lançou os primeiros satélites de teste para validar alguma da tecnologia que será implementada nesta rede, com a FCC a ter autorizado o lançamento de 4425 satélite pouco depois. Agora, a FCC expande a autorização para mais 7518 satélites, o que dá a luz verde para a criação da constelação total final com cerca de 12 mil satélites.

A FCC norte-americana aprovou também alguns projectos concorrentes, da Kepler Communications, Telesat e LeoSat, que pretendem criar constelações de menor escala (com 140, 117, e 78 satélites, respectivamente) - e actualizou as regras de modo a minimizar eventuais destroços orbitais que possam por em causa outros satélites (nomeadamente, a necessidade de poderem ser removidos de órbita de forma segura no fim do seu tempo de vida útil, para que não contribuam para o "lixo espacial").

Recentemente Elon Musk deu um "abanão" na divisão responsável pelo Starlink, demitindo vários gestores do projecto, por considerar que o mesmo não estava a avançar à velocidade desejada; pelo que irá ser interessante ver com que velocidade é que a SpaceX começará a enviar satélites StarLink para o espaço, e quanto tempo irá ser necessário até que esta internet via satélite comece a ter efeitos práticos "cá em baixo". Começaremos a ter os operadores de telecomunicações a exigir subsídios estatais, para compensar a potencial perda de clientes que se mudem para um serviço vindo do céu?


Nota: metade deste novo lote de satélites aprovados terá que ser lançado no prazo de seis anos.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]