2019/02/07

Notícias do dia

Manter Windows 7 actualizado vai custar - e bem - a partir do próximo ano; Centro de cibersegurança português deixa password afixada na parede; o Model 3 baixa para os 35 mil dólares - nas contas "à Tesla"; apps iOS populares apanhadas a gravar ecrãs dos utilizadores; Galaxy S10 vem acompanhado por earphones com carregamento wireless; e ainda o Artigo 13, que está de regresso - e ainda pior do que dantes.

Antes das notícias do dia, relembro que já temos novo passatempo do gadget da semana, que desta vez te pode valer uns earphones JBL.

Alemanha proíbe Facebook de fazer cruzamento de dados dos utilizadores



A Europa, mais concretamente a Alemanha, volta a mostrar cartão vermelho ao Facebook. Desta vez, acusa a rede social de recolher demasiados dados sobre os utilizadores, e passa a proibir o cruzamento de dados dos seus diferentes serviços (como Instagram, WhatsApp, etc) a não ser que obtenham o consentimento expresso dos utilizadores.

Quer isto dizer que o Facebook não pode, automaticamente, aproveitar-se de coisas que os seus utilizadores façam no Instagram ou no WhatsApp, para as associar ao seu perfil do Facebook. Na teoria parece-me bem, na prática parece-me que irá resultar apenas em mais uma pergunta popup que a maioria dos utilizadores irão aceitar sem sequer ler no que estão a clicar.


Impressão 3D em cortiça desenvolvida por estudante da Universidade de Aveiro



Já é possível fazer impressões 3D com material 100 por cento biodegradável à base de cortiça. Resultado de um projecto de Tatiana Antunes do Departamento de Engenharia de Materiais e Cerâmica, este filamento para impressoras 3D é feito a partir de resíduos de cortiça resultantes do fabrico de rolhas.

Este novo material quer ser não só uma alternativa ecológica para qualquer impressora 3D como permite também dar aos objectos impressos o toque, odor e a cor que associamos à cortiça. Esperemos que em breve possa passar a uma fase de produção em maior escala e ficar disponível para todos.


YouTubers unem-se contra Artigo 13




Foi hoje lançada a campanha "Diz não ao Artigo 13" coordenada pela D3 - Direitos Digitais eThumb Media, que junta youtubers, associações da sociedade civil, políticos, professores universitários, advogados, e outros, que têm em comum as posições críticas sobre o Artigo 13 da Reforma Europeia do Direito de Autor.

Vários youtubers, entre os quais Paulo Borges (Wuant), Ana Catarina Ribeiro (Owhana) e Olivia Ortiz publicam um vídeo conjunto e uma carta aberta dirigida aos principais responsáveis políticos do país.  O Artigo 13 obriga as plataformas de Internet a adoptar sistemas de filtragem prévia de conteúdos que terão de verificar e aprovar aquilo que os cidadãos publicam na Internet. Foi também criada uma petição para tentar melhorar os aspectos mais críticos do Artigo 13.


Links de notícias sem excertos reduzem visitas aos jornais em 45%



A par do artigo 13, o artigo 11 quer aplicar a "taxa dos links", que quer cobrar pela apresentação de imagens e pequenos excertos que acompanhem links para sites de notícias. A Google diz já ter feito uma experiência, que resultou numa redução de quase metade das visitas aos sites noticiosos quando se utilizam links simples em vez dos links com os pequenos resumos a que nos habituamos.

Parece ser mais um daqueles casos em que será melhor ter cuidado com o que se deseja... pois em vez de conseguirem mais uma taxa sobre os links, os sites noticiosos arriscam-se é a ver uma redução significativa do número de visitantes. E depois, o que se segue, uma nova taxa para compensar os grupos editoriais pelas pessoas que não visitam os seus sites?


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]