2020/04/28

O fiasco da Magic Leap


A Magic Leap, que pretendia revolucionar o mundo com projecções virtuais indistinguíveis da realidade, continua longe de cumprir com as suas promessas, e parece ter entrado na fase em que os milhares de milhões de dólares que angariou se estão a esgotar.

Durante vários anos a Magic Leap foi uma das empresas envoltas em maior secretismo, apenas com algumas indicações de que quem tinha visto os seus protótipos tinha ficado de queixo caído. Demonstrações impressionantes que lhe valeram um investimento de 500 milhões da Google, entre muitos outros milhões que ascenderam a um total de mais de 2 mil milhões.


Foram-se seguindo notícias de que já estava a preparar a produção de milhões de óculos de realidade aumentada, que seriam capazes de tornar realidade o tipo de coisas que víamos em filmes como o Star Wars. Coisas que ficaram por cumprir e materializar... Em vez disso, em 2017 a Magic Leap lançou finalmente os seus primeiros óculos, que estavam bem longe de conseguir cumprir com o que tinha sido prometido.

Agora, fica-se a conhecer um pouco mais do que se passou. A Magic Leap tinha de facto protótipos com capacidades impressionantes, que fizeram com que os VIPs que experimentaram as suas demonstrações exclusivas abrissem os cordões às bolsas. O grande problema foi que a empresa não conseguiu miniaturizar essa tecnologia, com máquinas volumosas e pesadas, por forma a fazer com que tudo coubesse no formato dos óculos que se pretendia. Em vez dos prometidos sistemas de projecção lightfield que replicariam a realidade, o resultado foram óculos com waveguides banais, como os que são usados noutros óculos de realidade aumentada, e também sofrendo do campo de visão reduzido.

Nesta fase, a Magic Leap já despediu grande parte do seus funcionários, e está desesperadamente à procura de um comprador para conseguir sobreviver por mais algum tempo. No futuro, talvez se possa olhar para trás e considerá-la como pioneira que surgiu antes do seu tempo; mas por agora, parece tornar-se numa desilusão que fez promessas que não conseguia cumprir (e o facto de ter criado vídeos enganadores para promover essa mentira não contribuirá para que lhe seja dado o benefício da dúvida).

É pena... Imagino que daqui por alguns meses as suas patentes e desenvolvimentos sejam comprados ao desbarato por outras empresas, que talvez consigam acabar o trabalho por eles iniciado.


Sem comentários:

Publicar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]