2020/08/24

Microsoft apoia a Epic na luta contra a Apple


Sem grandes surpresas, a Epic não está a ter dificuldade em encontrar aliados na sua luta contra a Apple, contando agora com o apoio da Microsoft.

A Microsoft veio dizer que o bloqueio da Apple à Epic e às suas ferramentas, incluindo o Unreal Engine, seria um enorme retrocesso que iria por em causa inúmeros projectos que o utilizam, ou estejam a planear utilizá-lo, incluindo vários jogos da Microsoft para iOS.



Não será uma posição inesperada, considerando que a Microsoft também tem motivos suficientes de queixa quanto às políticas da Apple para a sua App Store, que impedem que a MS disponibilize o serviço de streaming de jogos xCloud para iOS.

Também de relembrar que este combate à Apple e App Store não está a ser feito apenas por parte da Epic e na vertente dos jogos. Também serviços como o Spotify têm em curso queixas contra a cobrança das comissões sem que seja permitida qualquer alternativa de pagamentos que possa escapar à "taxa Apple", desde logo dando imensa vantagem aos serviços da própria Apple, como o Apple Music, Apple TV+, etc. face a serviços concorrentes.

Se por agora a Apple parece estar plenamente confiante de que tem a situação controlada e a correr a seu favor nos EUA, deste lado do Atlântico as coisas parecem estar a tomar um rumo bem diferente, tendo a Kaspersky Labs já vencido na Rússia a nível de querer poder fornecer apps de controlo de tempo como a que é disponibilizada pela Apple, e poder ter acesso aos dispositivos iOS sem ser obrigada a passar pela App Store controlada pela Apple.

4 comentários:

  1. "Também serviços como o Spotify têm em curso queixas contra a cobrança das comissões sem que seja permitida qualquer alternativa de pagamentos que possa escapar à "taxa Apple", desde logo dando imensa vantagem aos serviços da própria Apple, como o Apple Music, Apple TV+, etc. face a serviços concorrentes."

    É assim tão complicado ir ao site da Spotify e fazer a assinatura e pagar? Estamos no tempo das compras eletrónicas. Quem não souber até parece que a Spotify paga comissões à Apple por não ter alternativa ou que não se pode ouvir streaming em iOS.
    A Spotify fez queixa. porque quer fazer as compras dentro da app sem pagar comissão Já alguém lhe deu razão?

    ResponderEliminar
  2. Fui ver o que se passava com a Kaspersky.
    A Kaspersky alega que a Apple lançou a versão 12 da sua próprio app de controlo parental do uso de smartphones e tablets , o Screen Time, que tinha funções semelhantes ao programa da Kaspersky, Safe Kids, que teve uma atualização rejeitada.
    A Apple disse que removeu da App Store várias apps de controlo parental porque "colocam a privacidade e a segurança dos utilizadores em risco". Sendo certo que quer for à App Store encontra montes de apps de controlo parental.

    O documento da Entidade Reguladora Russa diz que a Apple se reservou ilegalmente o direito de bloquear apps de terceiros da App Store e que tinha que resolver o assunto. A Apple disse que ia recorrer e, que se saiba, não há qualquer decisão.

    Mas não percebi o que se pretende. Se a Apple recusar uma app porque "colocam a privacidade e a segurança dos utilizadores em risco" e o developer, obviamente não concordar, faz-se o quê? Cria-se uma comissão arbitral para resolver o assunto - cada parte nomeia um representante e os dois têm que se entender para nomear um terceiro membro e decidem por maioria?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já não te chega partilhares todos os dados á Apple?

      Eliminar
  3. Já agora, para acabar, o apoio da Microsoft à Epic.
    Não o apoio ao ao fim dos 30% de comissão da Apple (os mesmos na Xbox) nem permitir a instalação de apps por APK ou lojas alternativas, nem a deixar criar outros sistemas de pagamento.
    Refere-se apenas ao motor Unreal Engine, da Epic, usado por outros developers e que se a Apple cortar o apoio técnico à Engine esses developers vão ser prejudicados. Não diz mais do que isto. Ficou-lhe bem e não lhe custou nada.

    O que a Apple diz na contestação à ação da Epic em tribunal é que a Epic "sabia que a consequência de enganar o sistema e descaradamente e
    violar os contratos com a Apple era que as suas "apps seriam removidos da loja" e que a Epic, ia ser “expulsa do Programa de Developers”, não apenas quanto ao Fortnite, mas também a outros projetos com a Apple,
    incluindo o Unreal Engine."

    A Epic sabia, não era só que o Fortnite ia ser expulso da App Store, como foi do Google Play. E joga com isso, com o pessoal do iOS que não possa atualizar o Fortnite e com os developers para iOS que usam o Unreal Engine.
    Agora, também mostra a marosca, que se traduz numa coisa muito simples: dos 30% da comissão da Apple a Epic quer que o utilizador pague menos 25%, ficar com 5% e a Apple e a Google sem nada. Chama-se pôr a Apple e a Google a trabalhar para o boneco. Não estou a ver um tribunal a aprovar a marosca.

    ResponderEliminar

[pub]