2022/02/17

Notícias do dia

Serviços de monitorização de estudantes criam sites falsos com respostas de testes; Chrome OS Flex pode ser instalado em Chromebooks antigos mas a Google não recomenda; Windows 11 aprende gestos dos mobiles; Google ganha widgets do Google Discover na página principal; tecnologia sem suporte deixa invisuais em risco de deixarem de ver.

Antes de passarmos às notícias do dia, não deixes de participar no nosso passatempo semanal que desta vez te pode valer uma coluna Anker Soundcore Mini.

Mozilla alerta para problemas com versões 100 do Chrome e Firefox

À semelhança do que a Google já tinha feito, também a Mozilla está a alertar que a chegada em breve às versões "100" do Chrome e do Firefox poderá causar alguns problemas nalguns sites, que assumem que as versões dos browsers têm apenas dois dígitos e poderão fazer com que um browser com versão "100" seja interpretado como sendo versão "10" e recusar-se a funcionar por pensar que é demasiado antigo.

Embora a Google tenha dito que contactou os sites afectados para que se actualizassem, a Mozilla diz que ainda há sites que não estão aptos a lidar com esta situação. Mas, tal como no Chrome, também a Mozilla disponibiliza uma opção de "compatibilidade" no Firefox que permita enganar a versão indicada de modo a manter os sites funcionais, se tal for de importância crítica. Aliás, para quem usar a opção "privacy.resistFingerprinting", a versão reportada pelo Firefox já fica bloqueada na versão 78 para impedir o tracking por essa via.


Firefox com dificuldade em conquistar novos utilizadores

Ainda a propósito do Firefox, o browser que continua a resistir como alternativa ao domínio do Chrome e browsers baseados em WebKit (Safari, etc.) tem estado a enfrentar dificuldades.

Com a MS a abandonar o seu Edge para o transformar em mais um "clone" do Chrome, o panorama na web assenta essencialmente no duopólio Chrome / WebKit; o que ironicamente acaba por fazer com que se fique numa situação bastante semelhante à que se tinha há muitos anos atrás, na era de "ouro" (ou terror) do Internet Explorer - em que se tinha uma web criada especificamente para um browser, ou motor de browser, em vez de se seguirem os devidos standards. A sobrevivência do Firefox é por isso essencial para se ir resistindo a essa tendência. E a melhor maneira de contribuir para isso é instalá-lo e dar-lhe uso: quem sabe, até ficam agradavelmente surpreendidos pela experiência e descobrem o que têm estado a perder.


Twitter com gorjetas em Ethereum


Depois das Bitcoin, o Twitter expande a possibilidade dos utilizadores receberem gorjetas dos seus seguidores também em Ethereum.



Placas com GPUs Arc da Intel só chegam no final do ano

A Intel vai aventurar-se na produção de GPUs dedicados com a sua série ARC, e revelou o seu plano de lançamento.

Inicialmente teremos estes GPUs integrados em portáteis com CPUs Intel Alter Lake de 12ª geração; mas placas gráficas dedicadas, para fazer frente às que usam GPUs AMD e Nvidia, só chegarão no terceiro trimestre. E a acompanhar estes GPUs teremos também um novo serviço designado Project Endgame, que promete dar acesso à potência destes GPUs via streaming na cloud - talvez para fazer frente aos serviços como o Google Stadia, ou outros de cloud gaming; embora ainda esteja por esclarecer se será um serviço destinado aos jogos ou a utilização mais profissional.


Curtas do dia


Resumo da madrugada



Curiosidade do dia: Embora já não seja mantido, o DSL (Damn Small Linux) era uma distro que se focava em ser o mais pequena possível, ocupando apenas 50 MB (com ambiente gráfico, browser, etc.) e podendo correr inteiramente em RAM em apenas 128 MB.

2 comentários:

  1. O Firefox tem pior desempenho que o Chrome.
    Pelo menos no Youtube, e nos testes de velocidade, pelo menos fiz o teste no Google Chrome e no Firefox e o Firefox foi pior uns 80 Mbps... o que é um bocadão.

    ResponderEliminar
  2. Xiii o DSL :)
    Agora temos o Tiny Core também super pequeno (11MB em modo consola) ou 16MB com interface gráfica...
    Mas há também uma outra distro muito boa e funcional, a Puppy Linux, que somente com 300MB serve perfeitamente para gerir aquilo que muita gente faz em casa: ir ao Facebook, Twitter, YouTube, Gmail e ver uns filmes e ouvir música. É o que eu uso num PC de 2010 mas que parece que comprei hoje.
    Para trabalho tenho outro PC com outra distribuição (ArcoLinux) em dual boot com o Windows 10. Uso ambos os sistemas conforme o que necessito fazer.

    ResponderEliminar

[pub]