2022/06/01

Notícias do dia

TikTok testa "clear mode" livre de distracções; Edge com sincronização do Chrome a cada arranque; a Volvo adopta Unreal Engine para interface nos automóveis; Pixel Watch com autonomia apenas para 1 dia; e Vodafone prepara tracking via rede móvel impossível de bloquear.

Antes de passarmos às notícias, já temos novo passatempo semanal, que desta vez te pode valer um tapete para rato XL RGB.

Sistema anti-partilha de passwords da Netflix começa mal

Parece que a forma apressada como a Netflix tentou implementar um sistema anti-partilha de passwords não está a resultar como se esperava.

A Netflix entrou em estado de emergência com a redução de clientes, e agora tem estado a explorar todas as vertentes possíveis para os manter e reconquistar. De um lado, dá o dito por não dito e explora opções de subscrição com publicidade e, em vários países, tem testado um sistema anti-partilha de passwords, com cobrança de taxa adicional por quem quiser partilhar a password.

O problema é que isso está a gerar grande confusão, com alguns clientes a não perceberem porque motivo lhes está a ser pedido que paguem mais só porque os seus filhos querem ver Netflix quando estão fora de casa; enquanto outros dizem continuar a partilhar as passwords como sempre fizeram, sem que lhes tenha sido pedido nada.


Instagram ganha alertas para crianças raptadas

O Instagram vai passar a exibir os chamados "Amber Alerts" que sinalizam uma situação de criança raptada naquela região.

Estes alertas já são normalmente apresentados via mensagens "cell broadcast", mas aqui terão direito a informação adicional, incluindo a foto da criança em questão. O Instagram diz que este sistema será disponibilizado em 25 países, incluindo vários países europeus, como a Bélgica, Irlanda, Luxemburgo, Holanda, Roménia e Ucrânia - mas Portugal não aparece na lista. Mesmo se a situação não será frequente no nosso país, não seria mau ter o sistema implementado e preparado, caso um dia seja necessário dar-lhe uso.


China estuda forma de destruir rede Starlink

Num "lapso" que não será lapso, a China publicou - e depressa removeu - um estudo que indica a necessidade de desenvolver métodos de destruir ou inutilizar a rede Starlink da SpaceX, por potencialmente dar vantagem táctica aos EUA num cenário de guerra contra a China.

Uma preocupação natural (basta imaginar que os EUA fariam exactamente o mesmo caso fosse a China a ter uma rede global de satélites - para não falar nas sanções e bloqueios que já aplicaram a empresas como a Huawei nos últimos anos), mas que por agora não parece passar de uma mera ameaça. Neste momento não haverá qualquer forma fácil de destruir dezenas, nem centenas, e muito menos milhares de satélites em órbita; e a SpaceX teria capacidade de lançar novos satélites muito mais rapidamente do que a China, ou outro país, os conseguiria destruir. Ainda assim, e como a Rússia tem demonstrado exemplarmente, em qualquer cenário de guerra são as pessoas que sofrem, independentemente dos interesses "nacionais" e de que lado estejam.


Curtas do dia


Resumo da madrugada



Curiosidade do dia: O Photoshop começou a ser desenvolvido em 1987 por Thomas Knoll e John Knoll, sendo que este último trabalhava na ILM (Industrial Light and Magic) e foi lançado oficialmente pela Adobe em 1990.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]