2022/08/09

Notícias do dia

A internet nas férias - ou a saga de ter 5G no Algarve; indicador da percentagem de bateria regressa aos iPhones no icon da bateria; Oppo e OnePlus suspendem vendas na Alemanha devido a processo da Nokia; Windows pode corromper dados nos CPUs mais recentes; e Coreia do Sul vai investigar pagamentos nas app stores da Apple e Google.

Antes de passarmos às notícias, já temos novo passatempo semanal, que desta vez te pode valer um powerbank Ockred de 10000 mAh.

Índia quer proibir smartphones chineses económicos

A Índia tem lançado uma ofensiva económica contra a China, que agora se expande à intenção de proibir a venda de smartphones chineses no segmento abaixo dos 150 euros.

O objectivo é promover os fabricantes locais neste segmento que é um dos mais importantes na região; mas chegando numa altura em que o impacto de tal decisão será muito mais abrangente. O distanciamento entre ocidente e China tem feito com que muitas empresas - como a Apple - comecem a olhar para a Índia como alternativa para a produção de smartphones, e esta é uma oportunidade que seguramente não irá querer perder, sendo uma forma fácil de conquistar aliados ocidentais que estejam dispostos a fechar os olhos à forma como as coisas funcionam por lá - como, aliás, já acontecia com a China.


YouTube demasiado poderoso para ser bloqueado na Rússia?

Apesar de ter ameaçado o bloqueio do YouTube por "promover fake news e conteúdos anti-kremlin", a Rússia continua a deixar o serviço de vídeo disponível no país, em contraste com todos os demais serviços que já bloqueou.

A pergunta que se coloca é se o YouTube ficará acima do limite que até a Rússia estará disposta a atingir da censura na internet, podendo a sua potencial remoção acabar por gerar (ainda) mais perguntas entre os cidadãos russos sobre se realmente estarão a ter informação fidedigna sobre o que se passa na Ucrânia. E, como bem sabemos, a última coisa que interessa nestes casos é ter grande percentagem dos cidadãos a fazer perguntas.


WhatsApp dá 2 dias para eliminar mensagens enviadas

O WhatsApp vai dar mais tempo para que os utilizadores possam fazer o "unsend" / eliminar uma mensagem já enviada, tanto para um único utilizador como para grupos.

Até agora, os utilizadores podiam eliminar mensagens mas apenas no prazo de 1 hora 8 minutos e 16 segundos. A partir de agora, o prazo para eliminar mensagens passa a ser de 2 dias. Curiosamente, no iOS, a Apple segue em caminho inverso, tendo reduzido o prazo para eliminar mensagens de 15 minutos para 2 minutos no mais recente iOS 16 beta - parecendo sinalizar que se destina apenas a corrigir erros e não a "mudança de ideias".




Curtas do dia


Resumo da madrugada



Curiosidade do dia: O primeiro relógio de pulso electrónico com mostrador digital foi o Pulsar lançado em 1972. O seu display era tão gastador que só exibia as horas por um segundo quando se carregava num botão, para evitar que a bateria se esgotasse rapidamente.

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]