2018/02/16

Notícias do dia

Google remove "ver imagens" da pesquisa por imagens; os problemas com caracteres continuam a perseguir a Apple, com mais um que pode encravar iPhones, Macs e até o Apple Watch; a OnePlus repetiu o inquérito eliminado pela Xiaomi (mas sem o apagar); temos em promoção a Xiaomi Yeelight LED a €59; e o Facebook está a perder influência face ao Google - e isso explica muita coisa.

Antes de passarmos às notícias do dia, não se esqueçam que esta semana temos para vos oferecer uns headphones Bluetooth dobráveis.

Coinbase levantou dinheiro indevidamente das contas dos utilizadores




A Coinbase está a braços com uma situação muito desagradável, depois de alguns clientes terem descoberto que a empresa lhes tinha retirado dinheiro das contas sem qualquer justificação. A Coinbase já veio dizer que se tratou de um erro devido a uma alteração feita pelos bancos e empresas de cartões de crédito, que pretendem penalizar as transferências e pagamentos para serviços de criptomoedas; mas entretanto a VISA já veio dizer que não houve qualquer alteração e que a culpa será mesmo da Coinbase .

... Bem, o que interessa é que a situação fique rapidamente resolvida (a Coinbase diz estar a fazer todos os reembolsos) para quem foi afectado por isso; havendo pessoas que com estes débitos repetidos ficaram com as contas negativas e sem dinheiro para fazerem alguns dos pagamentos mensais que tinham agendados.

Actualização: afinal a culpa foi mesma da VISA.


Apple ficou com 51% das receitas do mercado nos smartphones



A Apple pode não vender iPhones em volume capaz de competir com todos os seus concorrentes, mas isso torna-se irrelevante quando a marca consegue obter 51% das receitas do sector - isto para estimativas referentes ao último trimestre de 2017. Em segundo lugar temos a Samsung com 15.7%, e em terceiro lugar a Huawei com 7%.

Estamos a falar da receita... se formos ver os lucros, então essa percentagem será seguramente superior!


A praga dos vídeos estáticos com "chuva transparente" do Facebook



A minha reduzida utilização do Facebook ainda não me fez aparecer nenhum destes vídeos, mas aparentemente a rede social está a ser invadida por estranhos vídeos com uma imagem e elementos transparentes a mexerem-se sobre a mesma. Isto deu azo a inúmeras teorias, mas a verdade é que se trata apenas de uma forma dos promotores de conteúdos virais enganarem o Facebook.

O Facebook tem feito forte aposta no vídeo, e o seu algoritmo dá prioridade a esse tipo de conteúdos. Isso fez com que os promotores de "memes" começassem a divulgar as suas imagens em formato vídeo - coisa que o Facebook começou a detectar e a penalizar. Daí que agora se tenha um novo estilo de vídeo de imagens estáticas, onde os triângulos ou outros elementos transparentes servem apenas para enganar o sistema de detecção deste tipo de vídeos...


MIT cria sistema de navegação rápida de drones em ambientes cheios de obstáculos


Hoje em dia é possível ter drones a navegar autonomamente pelo meio de florestas e outros sítios complicados, mas isso é feito devagar, com o drone a tentar mapear cuidadosamente tudo o que tem à sua volta. Quando o objectivo é "andar depressa" as coisas torna-se mais complicadas, mas investigadores do MIT inventaram uma solução: o NanoMap.

O sistema assume desde logo que não conseguirá lidar com todos os potenciais obstáculos a cada instante, mas vai acumulando a informação recolhida a cada instante com aquela que já foi recolhida nos instantes anteriores, para se tentar manter dentro do "corredor de segurança" que pensa ser o que melhores probabilidades lhe dá de avançar sem colidir com nada. E assim consegue fazê-lo a velocidade bastante superior à de outros sistemas de navegação.




Curtas do dia


Resumo da madrugada

6 comentários:

  1. A Apple no último timestre, nos smartphones, teve:
    - à volta de 19% de quota de mercado
    - 51% das receitas
    - por certo mais de 80% dos resultados [lucros de três fabricantes (Apple, Samsung e Huawei) menos prejuízos dos restantes]. No último trimestre de 2016, com o desastre do Note 7, até teve 100%.

    "Ah e tal o negócio da Apple está a ir pelo cano por causa do iOS 11 e do iPhone X que não vende". Isto para não falar dos problemas com o HomePod que deixa marcas nas mesas e do símbolo indiano que chrasha o iOS, MacOS e Watch OS ;-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Certo, mas ter lucros não iliba a Apple das (muitas) cagadas que tem feito... Eles próprios já reconheceram isso ao anunciar que as novidades ficam adiadas para o próximo iOS, e o foco vai ser corrigir as coisas que estão mal.

      ... Que tenham os lucros todos que quiserem... mas que seja sem queixas dos utilizadores de longa data (como aqueles que compraram MacBooks Pro dos novos... para ao fim de umas semanas regressarem aos modelos anteriores...)

      Eliminar
    2. Mau :)
      Eu comprei um MacBook Pro dos novos, o que é que aconteceu agora? Não dei por nada - nem li. Quantos são os queixosos?

      Quanto ao "resto", confesso que tenho curiosidade em saber quando é que te decides a trocar a bateria do teu SE - ou o iOS 12 permita desativar o modo de "impedir picos de tensão" - para ver o que acontece :)

      Eliminar
    3. Quando te começar a falhar o teclado pode ser que subitamente comeces a ler sobre isso. (Mas espero que não tenhas que passar por isso).

      No resto, ninguém tem mais curiosidade em saber isso como eu. Mas para isso a Apple terá que nos fazer chegar o iOS com a tal opção, e também um plano de troca de baterias a preço reduzido (ou gratuito - deixa ver no que vão dar os processos que estão em curso).

      Mas não tenho dúvidas que trocando a bateria ficará "novo". A curiosidade prende-se apenas com ver se ao desactivar a opção de limitação da velocidade, em que medida é que isso irá resultar em reboots espontâneos ou não... E continuo a dizer, não há forma da Apple se sair bem: se houver reboots é porque subdimensionou a bateria; se não houver reboots, fez desesperar milhões de utilizadores, diariamente, sem qualquer necessidade.

      Eliminar
    4. Acredita se quiseres, mas num clip caiu-me no teclado de um portátil Dell e passou pela fresta das teclas.
      No teclado do MacBook as frestas têm pouco espaço para entrar lixo.

      Dos dois ou três casos que li, em Fevereiro e Outubro de 2017, falava-se que entrou lixo que bloqueava o toque entre a tecla e a o respetivo ponto de contacto - e que esse lixo não saiu quando passaram ar comprimido, como recomenda a Apple.
      A história termina com a impossibilidade de desmontar o teclado e com o preço, subido, que podia ser cobrado num reparador autorizado (mas não se diz quanto é que, afinal, custou a reparação).

      Mas, lá está, o que escreveste é que um numero, indeterminado, de utilizadores dos novos MacBook Pro os estavam a abandonar os novos MacBook Pro para voltar aos anteriores, vá-se lá saber porquê. O problema era tão vasto que até me desejaste boa sorte para não ter que passar por isso.

      Nada tenho contra - e aplaudo, que se se aponte e se critique as falhas em produtos da Apple, até por serem produtos mais caros. Mas há umas cenas "a tragédia, o horror ..." que estão francamente exageradas. Na electrónica de consumo e na informática, em milhões de unidades vendidas, há uma margem para falhas - e daí a obrigação de garantia. Que é outra coisa que não percebi no teu SE - se estava na garantia e estava com falhas, por que é que não a acionaste? E se não tiver nada a ver com a bateria? Quanto aos milhões de utilizadores desesperados com os reboots, cá estaremos para ver :)

      Eliminar
  2. Apenas é "tragédia" porque estamos a falar de produtos que têm custo elevado e que se esperavam ter qualidade "acima da média". Coisas que em produtos que custam 1/4 do valor até poderias "desculpar".

    Quanto ao meu SE, está sim na garantia... mas se bem te lembras, é algo que até há poucos meses era apenas tratado como "teoria da cosnpiração"... até a Apple lá ter sido forçada a reconhecer que afinal era verdade. Nos EUA desenrascou com o programa de troca de baterias, cá continuamos a aguardar como vai lidar com isso. Mesmo que a Apple se disponibilize para trocar a bateria (antes do final dos 2 anos da garantia) neste momento irei esperar, precisamente para testar o efeito da opção que chegará em breve.

    Quanto aos MacBook Pro... deixo-te apenas a opinião de um dos grandes "fanáticos" pela Apple:
    https://marco.org/2017/11/24/fixing-the-macbook-pro
    https://marco.org/2017/11/14/best-laptop-ever
    https://forums.macrumors.com/threads/2017-macbook-pro-with-touch-bar-keyboard-issue.2083845/ (aí atiram o numero de 20% para macbooks com problemas de teclado - não posso confirmar o valor, mas de 2 pessoas que conheço com estes modelos, já ambos se queixaram desses problemas)

    ResponderEliminar

[pub]