2017/01/20

Notícias do dia

O problema de usar smartphones com óculos escuros; a app Meitu transforma-te em "anime" mas quer saber tudo sobre ti; a NEST expande oferta na Europa e NEST já chega a Espanha; especialistas de segurança reafirmam a confiança no WhatsApp; e ainda o lucrativo negócio das notícias falsas na internet.

Antes de passarem às notícias do dia, relembro que esta semana estamos a oferecer livros node.js da FCA, e que um deles pode ser vosso com uma simples resposta à pergunta de hoje.


Europa poderá obrigar empresas como a Uber a reconhecer condutores como empregados



O sistema de funcionamento da Uber (e vários outras empresas) que permitem que qualquer pessoa possa fazer "serviços quando e como quiser" tem sido criticado por ser exploratório e sem oferecer qualquer garantia aos trabalhadores. É algo que tem sido discutido um pouco por todo o mundo, e que na Europa poderá passar por fazer com que esses trabalhadores sejam equiparados a funcionários da empresa.

De notar que, qualquer que seja a decisão... não afectará em nada o funcionamento da Uber em Portugal, pois por cá os condutores já são sub-contratados e necessitam estar habilitados para fazer o transporte de passageiros, ao contrário dos países onde "qualquer pessoa" o poderia fazer.

Já nos EUA, a Uber continua a deitar a mão ao bolso para resolver todos os problemas que vai encontrando: mais 20 milhões para resolver um caso que a acusava de ter deliberadamente enganado os condutores com promessa de rendimentos superiores aos que teriam na realidade.


Samsung vai culpar baterias como origem das explosões no Note 7



O relatório oficial sobre o problema dos Note 7 só será conhecido na segunda-feira, mas parece ficar confirmado que a Samsung vai atirar as culpas para irregularidades nas dimensões e no processo de fabrico das baterias.

Posto de outra forma, fica validada a teoria de que o problema estaria efectivamente na falta de espaço para a bateria se expandir, e que levaria ao sobreaquecimento das mesmas e potencial risco de incêndio e explosão. Uma triste (e dispendiosa) lição de como a tentativa de poupar alguns décimos de milímetro pode resultar em desastre.


Investigação ao AutoPilot da Tesla após acidente com vítima mortal resulta em elogios à marca



O trágico acidente que vitimou o condutor de um Tesla deu origem a uma investigação pela NHTSA (National Highway Traffic Safety Administration), mas o resultado do inquérito não poderia ser melhor... para a Tesla. A investigação concluiu que o sistema não apresentou qualquer falha (face às suas capacidades), e que cabia ao condutor manter um olhar atento sobre a estrada, como o sistema vai insistentemente recomendando. A última interacção do condutor com o carro, dois minutos antes do acidente, tinha sido a de aumentar a velocidade de circulação; e segundo a agência, o camião atravessado na estrada teria sido perfeitamente visível para o condutor durante pelo menos 7 segundos, antes de se ter dado a colisão.

Outro ponto que a NHTSA faz questão de referir, é que desde a implementação do sistema de AutoPilot, os acidentes com os Tesla foram reduzidos em 40%. E falando de carros autónomos...


GM mostra o seu carro autónomo a circular em São Francisco


Ver um carro a circular sozinho numa auto-estrada ou via rápida é bom, mas bem sabemos que o verdadeiro desafio consiste em navegar na confusão do trânsito citadino. A GM também trabalhar em carros autónomos, e finalmente revela um vídeo que mostra um dos seus carros a ir apanhar um passageiro e levá-lo ao destino, sem intervenção de qualquer condutor humano.





Curtas do dia


Resumo da madrugada


Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]