2019/07/11

Notícias do dia

Vodafone lança tarifários ilimitados no Reino Unido com preços a começar nos €25; Google melhora traduções via câmara no Google Translate; iPhone com notch reduzido em 2020 e sem notch em 2021; tomada inteligente BlitzWolf a €12; gravações do Google Home podem violar RGPD; e o Malware "Agent Smith" que pode infectar outras apps Android.

Antes de passarmos às notícias do dia, esta semana temos para oferecer um módulo de tomada inteligente BlitzWolf no passatempo de gadget da semana; participa e partilha.

Apple desactiva Walkie Talkie no Apple Watch para evitar escutas



A Apple suspendeu o funcionamento da sua app Walkie Talkie no Apple Watch devido a uma vulnerabilidade que poderia permitir que uma pessoa escutasse outra sem o seu consentimento. Embora não tenha explicado em que circunstâncias isso poderia acontecer - para além de dizer que obrigaria a sequência específica de eventos - a Apple disse que optou por suspender a app para evitar qualquer potencial abuso.

A app Walkie Talkie permanecerá instalada nos Apple Watch mas não poderá ser utilizada até que a Apple corrija a situação e volte a activá-la.


EUA ameaçam com taxas em resposta a imposto digital Francês



Os EUA sentem-se no direito de aplicar taxas a outros países, mas não apreciam quando são outros países a aplicar taxas às suas empresas. Em França discute-se a criação de uma "taxa digital" que seria aplicado sobre os gigantes tecnológicos, obviamente fazendo-se notar especialmente em empresas como a Google, Apple, Amazon e Facebook.

Em resposta, os EUA dizem que vão analisar a situação para determinar se não se trata de uma medida injusta de discriminação contra empresas norte-americanas, e ameaçando desde já com a aplicação de taxas adicionais a produtos franceses caso considerem ser necessário retaliar. Se isto já anda assim para coisas tecnológicas, imaginem um dia em que se tratem de bens essenciais como água, comida e energia.


Arianespace falha lançamento e destrói satélite militar dos Emirados Árabes Unidos



Enquanto a SpaceX tem somado lançamentos bem sucedidos, a Arianespace cai no ranking com um lançamento falhado. O foguete Vega sofre uma "anomalia" durante o voo, perdendo as comunicações, e ultimamente levando a que caísse no oceano Atlântico destruindo o satélite que transportava.

Uma vez que se tratava de um satélite militar dos Emirados Árabes Unidos, seguramente não irão faltar teorias em redor deste lançamento - desde que se tratou de uma manobra deliberada para esconder um lançamento bem sucedido, a actos de sabotagem para impedir que colocassem um satélite espião em órbita. É só escolher a que preferirem.


Kaspersky vai dar formação de cibersegurança a astronautas



Poderá um clique num anexo de um email recebido por um astronauta colocar uma missão espacial em perigo? A Kaspersky não quer facilitar e vai dar formação especializada em cibersegurança aos astronautas, para que estejam a par de potenciais ameaçar e familiarizados com os procedimentos a seguir.
O Gagarin Research and Test Cosmonaut Training Center, situado na Star City, na Rússia, é um centro mundial de formação e treino, que colabora com várias agências espaciais de diferentes países, como a NASA (EUA), CSA (Canadá), ESA (Europa) JAXA (Japão) e outras. É neste centro que os astronautas completam a sua formação e realizam os seus exames finais mais importantes, antes de irem para a estação espacial internacional. Será aqui que os especialistas em segurança da equipa Global Research and Analysis (GReAT) da Kaspersky farão a formação, sobre como é possível explorar o espaço de forma segura bem como ciberameaças que podem existir na indústria espacial – especialmente as mais utilizadas pelos hackers – bem como outros métodos para levar a cabo um ciberataque.

Bem, a última coisa que se quer ver surgir no ecrã de uma nave espacial será seguramente uma mensagem de ransomware a pedir um resgate para reaverem o controlo do sistema! :)


Android Q beta 5 mostra como funciona gesto de back compatível com menus laterais



A Google tem tido alguns problemas a nível da implementação da navegação por gestos - fazendo alterações face ao que tinha revelado no Google I/O - mas no mais recente Android Q beta 5 podemos ver a mais recente implementação do gesto de retroceder em acção.

O maior problema é compatibilizar o gesto de retroceder com um deslizar lateral com a utilização dos menus laterais (que tradicionalmente usavam esse gesto). No Android Q, a ideia é que um gesto de deslizar faça o back, mas o menu permaneça acessível se mantivermos o dedo na bordo do ecrã durante um bocado, para que o menu apareça parcialmente, e só depois se fizer o gesto de deslizar.


Curtas do dia


Resumo da madrugada

1 comentário:

  1. Já estou a ver nos próximos anos o povo a ter de esfregar os polegares nos cantos dos telemóveis.

    ResponderEliminar

[pub]