2018/09/04

Notícias do dia

Samsung quer mudar de táctica e estrear novidades nos smartphones de gama média mais acessíveis; o iPad Pro de 2018 ganha Face ID e perde ficha dos headphones; a nível das revelações "duvidosas" temos o Huawei Mate 20 apanhado na IFA e um Pixel 3 XL esquecido num Lyft; as lâmpadas Philips Hue vão finalmente poder ser utilizadas nos quartos; e a Califórnia está prestes a aprovar neutralidade da net sem zero-rating.

Antes de passarmos às notícias de hoje, temos novo passatempo FCA, com o trabalho de hoje a ser decidir qual o livro cujos exemplares iremos oferecer ao longo da semana.

Xiaomi mostra Mi Mix 3 com 5G




Como se o seu design verdadeiramente full-screen não fosse suficiente para atrair as atenções, a Xiaomi já veio confirmar que o seu novo Mi Mix 3 também será compatível com redes 5G. Uma revelação que não será propriamente novidade, mas que nos relembra que ao longo dos próximos meses iremos começar a levar com uma overdose de smartphones que irão usar o 5G como "novidade" (e até que se torne tão comum que deixe de merecer destaque).

Entretanto, também surgiram indicações de que o mecanismo de deslizar da parte traseira não será motorizado como no Oppo Find X mas sim meramente manual... o que poderá dar maior descanso a quem estivesse preocupado com a longevidade e fiabilidade do sistema a longo prazo.


SAPO celebra o 23º aniversário



O SAPO pode ter perdido muito do seu "espírito" com a chegada da Altice, mas isso não apagar o facto de ser um caso único no panorama tecnológico português, e que mesmo após 23 anos continua a ser companhia habitual de milhões de portugueses todos os meses. Para celebrar a ocasião, o SAPO conta hoje na sua página principal com uma selecção de noticias escolhidas por Alexandre Fonseca, Presidente Executivo da Altice Portugal.

Esperemos que a Altice saiba reconhecer o valor e mérito do SAPO e lhe permita continuar a crescer, inovar, e ser um exemplo de referência, cá dentro e também lá fora. Parabéns SAPO.


China limita lançamento de videojogos



A China é um mercado altamente apetecível, mas nem todos encontram as portas abertas para lá entrar. Desde Março que a China não tem aprovado o lançamento de novos jogos no território, e dizendo que pretende limitar ainda mais o tempo que os jovens podem passar nesta actividade.

... Não é um problema exclusivamente chinês, mas é sem dúvida uma "reacção" que mostra o controlo apertado que o país tenta manter sobre os seus cidadãos. De lembrar que mesmo sem jogos novos aprovados, não faltam jogos onde os chineses passam tempo "demasiado", tendo já havido restrições anteriores quanto ao número de horas e períodos do dia em que os mais novos podem jogar certos jogos.


UE impõe 30% de conteúdos Europeus à Netflix



A UE prepara-se para exigir uma quota mínima de conteúdos locais nos serviços de streaming como a Netflix e Amazon Prime Video. A lei poderá ser aprovada já em Dezembro, sendo que os países terão 20 meses para a aplicar, podendo optar por aumentar a quota mínima de 30% de conteúdos produzidos localmente para 40% se assim o entenderem.

Esta é uma medida que visa evitar que a Europa se torne num simples "espectador" de conteúdos e fomentar a produção local; coisa que plataformas como a Netflix já têm vindo a fazer, com múltiplas séries originais produzidas deste lado do Atlântico (assim de repente, temos a Casa de Papel, feita aqui ao lado em Espanha, ou The Rain, da Dinamarca). Do que estão à espera os estúdios de produção nacionais?


Curtas do dia


Resumo da madrugada

Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]