2021/02/01

Notícias do dia

SMS de vacinação Covid-19 facilmente falsificado; Tesla Cybertruck e Roadster só para 2022; WhatsApp recorre às "stories" para assegurar utilizadores que se preocupa com a sua privacidade; Starlink com comunicação laser entre satélites nos pólos; Comissão Europeia publica contrato da vacina Covid-19 AstraZeneca censurado mas visível; grupo recria sons do Windows com as vozes; voz mais grave do mundo nem pode ser ouvida; e etiquetas de privacidade na App Store não são de confiança.

Antes de passarmos às notícias do dia, temos novo passatempo gadget da semana, que desta vez te pode valer um Nokia 105. E sendo início do mês, é também a altura perfeita para aderires ao nosso Clube AadM+ com prémios mensais exclusivos e outras vantagens.

Novos Tesla Model S e Model X irritam clientes com encomendas já feitas

O lançamento dos novos Model S e Model X não está a agradar a todos. A actualização dos modelos de topo da Tesla veio com muitas novidades, incluindo variantes tri-motor com mais de 1000 cv de potência, e um futurista volante rectangular (que ainda teremos que ver se é compatível com a regulamentação europeia), mas há clientes que não estão a apreciar a forma como a transição foi feita - nomeadamente, o de agora serem forçados a pagar 10 mil dólares adicionais face aos modelos anteriores.

A Tesla suspendeu a produção dos Model S e Model X em Dezembro, e deu ordens para "despachar" todo o stock o mais rapidamente possível em Janeiro. Ainda assim, a Tesla permitiu que continuassem a ser feitas encomendas destes modelos durante este processo de transição, que nos EUA permitia escolher modelos por um valor de 69 mil dólares - e que agora são confrontados com a necessidade de pagar pelo menos 79 mil dólares pelos novos modelos. Uma vez que não é possível entregar os modelos antigos (que já não estão disponíveis), a Tesla está a tentar apaziguar a situação com um desconto excepcional de 2 mil dólares, e permitindo que o opção FSD seja comprada ao valor a que estava no momento da encomenda original.


NASA não chegará à Lua em 2024

Com a transição do governo dos EUA da administração Trump para Biden, vai-se também confirmando que a promessa de regressar à Lua em 2024 não passava de uma manobra mediática e de distracção (algum desejo de ser equiparado a Kennedy?) Desde logo o projecto levantou muitas dúvidas, por ter sido atribuído um orçamento muito inferior ao que seria necessário; e agora as perspectivas pioram ainda mais, já sob a era Biden, com um atraso na selecção dos projectos dos módulos lunares.

Com os EUA a enfrentarem, tal como o resto do mundo, o cenário preocupante da pandemia Covid-19 e a terem que lidar com sistemas de suposta organização das vacinas onde nada funciona como seria suposto, é também natural que projectos de regressar à lua estejam bem para baixo na lista de prioridades e preocupações neste momento.


Apple compra filme CODA por $25M

Depois do Greyhound de 2020, a Apple volta a apanhar um filme mais disputados do momento para o seu serviço de streaming Apple TV+, e batendo um recorde no processo. A Apple comprou o filme CODA por 25 milhões de dólares, sobre uma jovem que é a única que ouve numa aldeia onde todos são surdos, tornando-o no filme mais caro já comprado no festival de Sundance.

Claro que a escala de valores continua a estar a anos luz de distância das produções comerciais de Hollywood, bastando para isso relembrar que a Apple pagou $70 milhões pelos direitos exclusivos de streaming do Greyhound durante 15 anos, onde vemos Tom Hanks a enfrentar um submarino na travessia do Atlântico durante a 2ª Guerra Mundial.


Procura de Chromebooks aumentou 4x com Covid-19

Segundo os dados da Canalys, a pandemia Covid-19 tem sido um excelente motivador para a compra de tablets e portáteis, com os Chromebooks a terem registo um aumento de superior a 4 vezes o habitual, atingindo valores recorde no último trimestre de 2020 - assim como os tablets.

Confesso que em tempos fui grande fã dos Chromebooks, mas foi coisa que veio a acabar em profunda desilusão ao descobrir que todos os Chromebooks vêm com prazo de validade para se tornarem autênticos pisa-papéis. A Google tem tentado resolver isto, permitindo que o Chrome no Chrome OS possa ser actualizado de forma independente do sistema, o que permitiria que mesmo os Chromebooks sem actualizações pudessem continuar a actualizar o Chrome mas, até que isso seja implementado, os Chromebooks estão na "lista negra" das não-recomendações.


Curtas do dia


Resumo da madrugada





Sem comentários:

Enviar um comentário (problemas a comentar?)

[pub]